ModaLisboa 2014: VISION Dia 1

Reportagem de Sara Santos
Texto de Elsa Furtado

ModaLisboaVision_SaraSantos-26

No primeiro dia da ModaLisboa, a passerelle esteve reservada para as criações dos novos designers do projeto Sangue Novo, de Valentim Quaresma e Alexandra Moura.

Os desfiles dos novos talentos tiveram lugar no Pátio da Galé, e foi numeroso o público que assistiu aos desfiles de Catarina Oliveira, Sofia Macedo, Ina Koelln, Nair Xavier, Cristina Real, 2ID (Sara Seidi e Rúben Damásio), Patrick de Pádua e Olga Noronha.

Com o título de CRASH – “encontro dos três estados da matéria num universo onde o orgânico se relaciona com o mecânico. Efeitos líquidos confrontados com o estado sólido da matéria. Uma atitude bondage na procura de contrapontos com etéreo”,  Valentim Quaresma apresentou um desfile ousado e provocante.

Para dar vida a esta ideia, o designer escolheu como materiais o cabedal, o ferro, o estanho, a prata, e o nylon. E nas cores a opção recaiu sobre o preto e o cinza metálico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais discreta foi sem dúvida alguma a colecção de Alexandra Moura, que escolheu um conceito que vai da tribo de Handramaut, no Yémen, à obra do artista plástico Pires Vieira, e apresenta uma “linguagem sofisticada, urbana e muito contemporânea”.

Os materiais escolhidos foram o algodão, a lã, a caxemira, a jersey, felpa e e microfibra. Nas cores, a designer optou pelos pretos, cinzas, azul índigo e bege.

“No conceito desta colecção, o masculino e o feminino fundem-se. A aproximação de ambos os sexos revela uma nova aventura neste contexto e nesta temática. Uma coleção com uma silhueta forte, onde o preto, o cinza e o azul índigo imperam tanto na obra como no lugar perdido da Terra mágica de Sheba. A silhueta alargou, tornou-se mais escorrida e mais coberta. A marcação das cinturas comunica a silhueta de Hadramaut. Os motivos, da obra de Pires Vieira, trazem uma nova linguagem à silhueta. Os detalhes mais clássicos misturam-se com os mais sport que se tornam, aqui, fundamentais para toda a imagem, trazendo à à coleção uma linguagem sofisticada, urbana e muito contemporânea”, explica Alexandra Moura.

ModaLisboaVision_SaraSantos-9Destaque ainda no primeiro dia, para a presença de Joana Vasconcelos, que colaborou na criação de um modelo de botas, de edição limitada, numerada e assinada pela artista, para a marca Green Boots. As botas são produzidas através de processos tradicionais na sua fábrica original, fundada em 1955 e o trabalho é totalmente personalizado e feito à mão por artesãos experientes e utilizando maquinaria da época.

Durante os três dias do evento, vai estar também em destaque a WONDER ROOM, na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, que apresenta uma mostra de um conjunto das mais criativas, ousadas e emergentes marcas nacionais, onde vai ser possível conhecer e comprar produtos, ver conceitos e objetos inventados e reinventados, produzidos para um mercado específico.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.