Teatros de Java: Jóias, Batiks e Marionetas da coleção Francisco Capelo, no Museu da Marioneta

O Museu da Marioneta  apresenta de 25 de julho a 21 de outubro, a exposição Teatros de Java: Jóias, Batiks e Marionetas da coleção Francisco Capelo, num conjunto de peças que permite uma verdadeira viagem a esta arte ancestral da Indonésia que reflete também a cultura do país.

As máscaras e as marionetas representam personagens presentes na mitologia, na literatura e na história de Java. Monstros, demónios, príncipes ou guerreiros, são algumas das personagens que podemos encontrar, cada um com características físicas muito próprias e carregados de uma expressividade rara.

As jóias, usadas no teatro dito “humano”, são objetos estilizados e trabalhados ao mínimo pormenor e acompanhadas de um conjunto de códigos e simbologia , também presentes nas marionetas, assegurando desta forma a identificação das personagens.

Os tecidos, estampados pela tradicional técnica de batik, não foram esquecidos e são também usados pelos atores, embora tanto o padrão como a forma de os dobrar obedeça a regras muito específicas.

O teatro javanês tem raiz nos poemas épicos Maharabata e Ramayana e nos contos do ciclo Panji e noutros de origem islâmica, a forma como são apresentadas  as histórias variam entre teatro de marionetas, atores ou mascaras.

Na Indonésia, o teatro divide-se em performances wayang wongwayang kulitwayang golek e wayang topeng. A veneração dos antepassados e a proteção dos deuses são temas recorrentes da tradição wayang. Por isso, as performances funcionam também como uma espécie de ritual através do qual toda a comunidade fica protegida.

wayang wong, teatro “humano” é uma das formas mais arcaicas de teatro na Indonésia em que os atores/dançarinos se apresentam vestidos de sarong, o traje tradicional javanês e ricamente ornamentados de jóias.

Wayang kulit é a forma mais antiga de teatro de marionetas na Indonésia, tendo provavelmente surgido no século IX d. C. O dalang é a figura principal que manipula as marionetas e dirige o espetáculo.

O teatro de marionetas de sombra foi fonte de inspiração para a representação humana e divina nos muitos e magníficos monumentos de Java, já a arte das marionetas wayang golek está habitualmente associada aos Santos do Islão, que decorrer dos séculos XIV e XV, desempenharam um papel essencial na expansão desta religião em Java, tradicionalmente de cultura hindu e animista, enquanto que  o wayang topeng, literalmente “dança com máscaras”, data de finais do séc. XV e foi praticada e refinada nas cortes principescas da costa norte, principalmente em Cirebon, mas também no centro de Java.

O horário é das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, a entrada é livre.

Deixar uma resposta