Rubem Fonseca distinguido nas Correntes D’Escritas 2012 na Póvoa do Varzim

Rubem Fonseca foi distinguido com o Prémio Literário Correntes D’ Escritas, no Encontro Correntes D’Escritas. O júri decidiu distinguir Rubem Fonseca pelo seu livro Bufo e Spallanzani. A entrega do prémio atem lugar amanhã, 25 de fevereiro, na Sessão de Encerramento das Correntes, agendada para as 18h30.

Bufo e Spallanzani  é um livro de perfil policial com muita literatura dentro: uma mulher da alta sociedade aparece morta, tem uma relação com um escritor que está escrever um livro, o detective é uma espécie de Columbo e o marido um rico mafioso. Vários suspeitos, uma história complexa, lírica e dura. A edição em Portugal foi da Sextante Editora.

José Rubem Fonseca nasceu em Minas Gerais, a 11 de maio de 1925, licenciou-se  em Direito e trabalhou na polícia desde  31 de dezembro de 1952, até à sua reforma. Pelo meio começou a escrever, tendo já livre de outras ocupações dedicado-se integralmente à literatura. Da sua vasta obra, incluem-se ainda roteiros para filmes, o Prémio Camões de 2003 e agora o prémio Casino da Póvoa, atribuído no âmbito do Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim. É conhecido pela sua modéstia, descrição (gosta pouco de aparecer) e bom humor.

O trabalho Vergílio Vagaroso, de Tomás Anjos Barão, sob o pseudónimo de Duplo Arco-Íris, venceu ainda o prémio literário Correntes d`Escritas.

O júri, presidido pela escritora Patrícia Reis, é ainda composto por Ana Paula Tavares, Fernando Pinto do Amaral, José António Gomes e Pedro Mexia.

Texto de Clara Inácio

 

Deixar uma resposta