Riso: Uma Exposição a Sério na Central Tejo a partir de hoje

Reportagem Clara Inácio (texto e fotos)

A Fundação EDP inaugura hoje no Museu da Eletricidade, uma grande exposição dedicada ao riso: Riso: Uma Exposição a Sério. 

Riso: Uma Exposição a Sério está organizada em núcleos: Quotidiano, Fisionomia, Sexo, Jogos de Linguagem, Poder (politica, religião) e Espetáculo e termina numa biblioteca com livros temáticos, para quem quiser aprofundar mais o tema, inclui quase meio milhar de obras de mais de 300 artistas, 95 emprestadores, uma equipa de 60 pessoas na organização da exposição, 87 écrans, 30 000 parafusos, 700 pés niveladores e inclui obras de Paula Rego, Eduardo Batarda, Almada Negreiros, desenhos de Valter Baptista, António, Stuart, Alberto Pimenta, Bela Silva, Vasco Araújo, João Paulo Feliciano, Pieter Brueshel, Fernand Léger, entre muitos outros e algumas obras inéditas encomendadas especialmente para esta ocasião, como é o caso das cabeças helenísticas do Séc. I ou II a.C., provenientes de uma doação do Museu Nacional de Arqueologia (expostas na secção da Fisionomia).

Nos múltiplos écrans expostos são exibidos excertos de sitcoms como All in the Family(Uma Familia às diresitas), Family Ties, Seinfeld, Mário Viegas, Herman José, Gato Fedorento, The Office, Sim, Sr. Primeiro Ministro, Bewitched, entre muitas outras. A mostra deu ainda origem a um catálogo, ao livro Prontuário do Riso, onde estão reunidos diversos ensaios por especialistas em diferentres áreas, da medicina, à história, entre outros. A revista Nada vai preparar um número especial sobre o riso, que irá sair no decurso da exposição. Para janeiro está agendado um Ciclo de Cinema de Humor e uma série de colóquios/workshops com um naipe de humoristas e ainda a produção de um documentário de dois episódios e uma série de entrevistas pela RTP, que vão ficar depois disponíveis no centro de documentação.A madeira utilizada na montagem da exposição vai depois ser reaproveitada por alguns artistas e uma parte vai ser entregue para projectos sociais – a Fundação EDP tem também um carácter social.

O trabalho apresentado resulta de uma parceria com as Produções Fictícias e procura dar uma visão contemporânea, com o devido enquadramento social, político e cultural. Estando o riso/humor representado de inúmeras formas, tão dispersas e diversas entre si, indo da pintura, ao desenho, instalações, vídeo, fotografia, escultura e performances, cinema, BD, programas de televisão, espectáculos, literatura, a obras de artistas nacionais e internacionais, mas que se complementam e interligam.

Comissariada por José Manuel dos Santos, João Pinharanda, Nuno Artur Silva e Nuno Crespo, este projecto parte de uma profunda investigação acerca dos dispositivos cómicos e humorísticos, tal como foram e são utilizados por diferentes protagonistas, em diferentes tempos e em diferentes áreas. “E porque nada é mais sério do que o riso, fazer uma exposição sobre este tema é, na nossa época, pensar criticamente a vida, o mundo, a sociedade”, referiu José Manuel dos Santos, diretor Cultural da Fundação EDP durante a apresentação à imprensa.

A mostra pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00, até 17 de março de 2013. A entrada é gratuita. As visitas guiadas e os ateliers para crianças estão sujeitos a marcação prévia.

                                                    

Deixar uma resposta