Regaleira Em Sintra Faz Reviver o Boneco de Madeira de Carlo Collodi Com As Aventuras de Pinóquio

A Quinta da Regaleira em Sintra, muito próximo do centro da vila, tem vindo a ser o palco ao ar livre de muitas peças de teatro, com ênfase dado ao teatro infantil.

A bYfurcação Teatro é um dos grupos que tem recorrido aos bonitos jardins e edifícios desta Quinta para regalar os seus espetadores com peças de teatro originais, criativas e rodeadas de natureza e ar livre.

O C&H foi assistir à peça que estará em cena este verão; estamos a falar de As Aventuras de Pinóquio de Carlo Collodi, escritor e jornalista italiano do século XIX, que não foi tão famoso como o personagem criado por ele! Nesta peça encenada por Sérgio Moura Afonso descobre-se a solidão, o altruísmo, a necessidade de uma consciência moral e a necessidade do acompanhamento dos pais no crescimento dos filhos, nunca deixando para trás a brincadeira, o jogo e a amizade.

Aguardando na cafetaria o início desta aventura, depressa chegou o som pelos altifalantes que nos anunciaram que As Aventuras de Pinóquio iriam começar, ao mesmo tempo que víamos ao longe os personagens a dirigirem-se para o local onde iria decorrer a história, no Terreiro do Ténis.

À medida que o público se foi instalando nas bancadas, o Grilo Falante não deixava de comunicar e interagir com as crianças, e ao mesmo tempo víamos os vários personagens no “palco”. Iniciou então o espetáculo, com muita música e efeitos sonoros ao longo de toda a história, com música original de Nuno Cintrão.

“A Gepeto é-lhe oferecido, um tronco de madeira, pelo qual logo se enamora. Trabalhando noite e dia, cuidando dele como se fosse um filho, Gepeto finalmente termina esta sua grandiosa ”obra”.

pinoquio_04Mas esta marioneta revela-se, mais que um “pau mandado”, e com a sua personalidade impertinente e curiosa, vai em busca das aventuras mais incríveis sempre em busca do seu maior desejo, ser um menino de verdade.

Sem obedecer, nem ao “pai” Gepeto, nem à sua própria consciência, Pinóquio descobre praticamente sozinho, as agruras da vida.”

A cenografia, pensada por Paulo Gonçalves e João Santos traz-nos uma estrutura de madeira quadrada que vai movendo e rodando pelo espaço cénico, com a ajuda dos personagens, e consoante a cena que se pretende: a casa de Gepeto, o bar do caranguejo vermelho, o teatro das marionetas, entre outros. O público é surpreendido também com a estrutura muito simples pensada para a personagem da Baleia, um enorme monstro marinho que engole Gepeto e o seu filho Pinóquio!

Depois de muitas aventuras vividas, muitas vezes com a “ajuda” do Gato astuto e da Raposa matreira, e com a intervenção da divertida e auxiliar Fada Azul, Pinóquio, uma pequena marioneta de madeira criada por Gepeto, acaba por se tornar num menino de verdade. Nunca esquecendo a presença do Grilo Falante, a consciência, aquela voz que vive dentro da nossa cabeça e que quase nunca queremos ouvir!

A encenação é de Sérgio Moura Afonso, com adaptação do texto feito pelo mesmo e por Sara Ferreira. A interpretação conta com André Pardal, Catarina Salgueiro, João Brás, José Redondo, Pedro Luzindro e Rute Lizardo. Os figurinos são de Carina Galvão.

 

Indicado para um público a partir dos seis anos de idade, As Aventuras de Pinóquio vão estar em cena até ao dia 29 de setembro, aos sábados às 17h00 e aos domingos às 11h00 (exceto no dia 18 de maio). A partir de dia 1 de junho haverá, além das duas sessões já existentes, mais uma sessão aos domingos às 17h00. A partir do dia 28 de junho e até ao dia 30 de agosto, poder-se-á contar também com uma sessão às sextas-feiras às 17h00. A partir do dia 7 de setembro, manter-se-ão apenas as sessões aos fins-de-semana.O bilhete tem o preço de 7 euros e pode ser adquirido na bilheteira da Quinta da Regaleira.Reportagem de Joana Resende (texto) e Tânia Fernandes (fotos)

Deixar uma resposta