A vida da “pequena” – grande Piaf agora em cena no Politeama, em Lisboa

Edith Piaf ganha vida no palco do Politeama, através de interpretações únicas de Wanda cartaz piafStuart e Sónia Lisboa, em mais uma peça encenada por Filipe La Féria, na Rua das Portas de Santo Antão em Lisboa, até 31 de Agosto.

Tendo por base o texto de Pam Gem, Filipe La Féria apresenta um espectáculo muito diferente dos seus outros trabalhos, aqui não há “cor”, momentos felizes ou futilidades, nesta peça, em que os actores são figuras pequenas num palco gigante, a iluminação tem um papel fulcral, contrapondo com a ausência de adereços e num cenário despido de figuras e cor.

A grandeza de uma das maiores cantoras de França, a sua frustração, dor e constante procura de felicidade marcam a história da peça, fazendo-nos muitas vezes recordar Amália, a grande artista portuguesa que sempre procurou o amor e a felicidade e “nunca” encontrou.

Senhora de uma grande voz, Piaf só encontrava par à altura na sua amiga Marlene Dietrich, aqui interpretada por Paula Sá. É ela quem lhe apresenta o seu grande amor, o pugilista Marcel Cerdan, que veio a falecer tragicamente numa viagem de avião nos Açores, despoletando a jovem artista num desespero sem fim.

Piaf

Piaf tinha uma personalidade marcante, nunca estava contente, características que aliadas a uma voz inconfundível, fazem deste papel um grande desafio para as duas artistas que alternadamente encarnam a diva, que faleceu aos 47 anos,Wanda Stuart e Sónia Lisboa.

Por aqui passam também nomes como Yves Montand (Arménio Pimenta) e Charles Aznavour (Ruben Madureira),  a velha amiga Toine – Noémia Costa e a antiga governanta Mafalda interpretada por Mafalda Drummond. Entre outras figuras da vida de Piaf, marcam ainda presença em palco um conjunto de músicos, que acompanham os actores ao vivo, ao jeito de espectáculo de “cabaret”.

piaf2

“La Vie en Rose”, “Non, je ne regrette rien”, “Hymne à l’amour”, e “Milord” são alguns dos temas que o espectador pode apreciar no original e em português, uma novidade em relação aos anteriores trabalhos de Filipe La Féria.

A peça estreou a 8 de Maio, no Teatro de Angra do Heroísmo na Ilha Terceira, nos Açores, tendo seguido depois para o Porto. Agora é a vez de Lisboa, onde está em exibição desde a passada quinta-feira, dia 16 de Julho.

fotos de: Elsa Furtado

1 Comentário

Deixar uma resposta