No Fado E Na Vida – Amor e Cumplicidade no Tivoli com Rodrigo Costa Félix e Marta Pereira Da Costa

Reportagem de Alexandra Gil / Fotos de Jorge Simão gentilmente cedidas por Rodrigo Costa Félix

Marta_Rodrigo_Convidados_Tivoli_JS_28062013-5718O Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, recebeu na noite de 28 de junho, No Fado E Na Vida. O espetáculo, que durou cerca de hora e meia, deixou patente em cada acorde tocado e em cada verso cantado o amor e a cumplicidade que unem Marta Pereira da Costa, a única mulher no fado a dedicar-se profissionalmente à guitarra portuguesa, e Rodrigo Costa Félix, um dos pioneiros e dos mais aclamados representantes da nova geração de fadistas.

Acompanhada na viola de fado por Pedro Pinhal e por Frederico Gato no baixo acústico, Marta abriu o concerto com uma rapsódia de Carlos Paredes e com “Terra”, tema da sua autoria.

Ainda só com os instrumentistas em palco, juntou-se à festa o primeiro convidado: Tiago Bettencourt, que ao piano interpretou “Soneto do Amor Difícil” e aproveitou para anunciar Rodrigo. “Gostava de convidar um rapaz que te quer conhecer”, gracejou o cantor. Mesmo com algum receio, Bettencourt aventurou-se num dueto fadístico com Rodrigo e, apesar da estranheza da situação, até se saiu muito bem.

Depois de alguns temas interpretados pelo fadista a sério, o espetáculo recebeu mais um convidado: o mestre Mário Pacheco. Produtor do primeiro álbum de Rodrigo, foi também o guitarrista que lançou Marta na arte de dedilhar as cordas na sua casa de fados e quem apresentou o casal. “Soneto da fidelidade” de Vinicius de Moraes foi o tema escolhido para Rodrigo partilhar o palco com Mário Pacheco, tendo-se seguido uma rapsódia do mestre com Marta.

Como ser fadista não significa que só se interprete fado, Rodrigo Costa Félix mostrou outra faceta, cantando “Yolanda” de Pablo Milanês, tema que acompanhou com o baixo. Uma imagem que o próprio, brincando com o público, disse que “não se vai repetir”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Memorável foi também a participação de Rão Kyao que, na companhia de Marta e Rodrigo, interpretou com a sua célebre flauta “Minhas Mãos”, tema do seu não menos famoso álbum “Fado Bailado”.

“Sou fã dele há muito tempo, a amizade é recente, o orgulho de o poder chamar aqui é gigantesco”. Foi assim que Rodrigo anunciou Fernando Tordo, outro dos convidados da noite. De viola amarantina em punho, o músico e cantor interpretou “Marta”, tema composto há uma semana que dedicou e apresentou em dueto com a guitarrista. “Nasceu Assim Cresceu Assim”, poema de Vasco Graça Moura dedicado ao fado serviu para animar ainda mais o público, num dueto de Tordo e Rodrigo.

“Vendaval” e “Rosinha dos Limões” apelaram à veia fadística da assistência, que sobretudo os menos novos não resistiram a mostrar. Já no encore da praxe, Marta trocou a guitarra pelo piano e com Rodrigo a dar voz ao tema, interpretou “Amigo Aprendiz”. Tiago Torres da Silva, diretor artístico do espetáculo, também foi chamado às tábuas para um divertido momento de fado falado, a fazer lembrar João Villaret. Já com todos os convidados em palco, Rodrigo encerrou a festa com “Bairro Alto”, fado que o público cantou com entusiasmo.

Na noite em que Carlos do Carmo celebrava 50 anos de carreira, Marta e Rodrigo mostraram num Tivoli com lotação praticamente esgotada, e a um público dos 8 aos 80, que também eles poderão um dia comemorar tal marco. Mas sobretudo deixaram bem claro que o fado, música do amor e das emoções, está bem vivo e se recomenda!

Deixar uma resposta