Moçambique vai eleger as suas 7 Maravilhas Naturais em Maio 2011

Depois das 7 maravilhas naturais de Portugal é a vez das 7 maravilhas naturais de Moçambique serem escolhidas a 11 de Maio de 2011, numa iniciativa da New 7 Wonders Portugal, em parceria com a empresa moçambicana, Companhia do Índico, num investimento de seis milhões de euros.

“O objectivo desta iniciativa é tornar Moçambique conhecido no mundo inteiro como destino turístico e detentor de património cultural e natural de relevo”, explicou ao C&H Ivandra Darsan da Companhia do Índico, aquando da assinatura da parceria, realçando ainda que, “o país está a mudar, o parque hoteleiro está a crescer, temos boas estradas e vias de acesso, três aeroportos internacionais, além de ligações entre ilhas, mas queremos crescer mais e dar-nos a conhecer, daí esta parceria”.

Sobre esta nova campanha Luís Segadães da New 7 Wonders Portugal, explicou ao C&H que, “A eleição vai decorrer à semelhança da portuguesa e começará com a recolha no local dos locais candidatos a Maravilhas, já em Outubro, seguindo-se depois as várias fases, com o início da votação em Dezembro”.

“Serão consideradas “Maravilhas Naturais de Moçambique”, os monumentos naturais em território nacional que contenham um ou mais aspectos de raridade ou representatividade em termos ecológicos, estéticos, científicos e culturais”.

Os nomeados serão organizados em 7 categorias, que representam a diversidade paisagística de Moçambique, nomeadamente: Praias e Falésias, Grutas e Cavernas, Zonas Protegidas, Zonas Marinhas, Zonas Aquáticas, Zonas não Marinhas e Grandes Relevos.

Depois do processo de candidaturas, será criada uma lista de 77 locais naturais pré-finalistas, seleccionada por um painel de 77 especialistas moçambicanos. Posteriormente um painel de 21 personalidades notáveis de Moçambique escolherá as 21 Maravilhas finalistas a votação.

A escolha caberá a todos os moçambicanos, que o poderão fazer através da internet, telefone e através de outras formas pensadas especialmente para o país, como por exemplo junto dos balcões de pagamentos no interior, explicou Ivandra Darsan da Companhia do Índico, esclarecendo que “Temos que ter em conta as limitações do nosso país, o que quer dizer que temos que fazer adaptações na forma de votação”.

“Adaptação que também vai ter de ser feita à campanha de comunicação e de incentivo ao voto, sendo em Moçambique a rádio o canal preferencial, pois é o que mais facilmente chega a toda a população e a todo o lado”, revelou ainda a responsável.

Os estrangeiros e os imigrantes também poderão votar, se assim o desejarem através da internet.

A gala final vai ter lugar a 11 de Maio de 2011, em Maputo.

Texto de Elsa Furtado
Fotos de Elsa Furtado e Antónia Barroso (Bazaruto)

Deixar uma resposta