O Fado e o Cinema em exposição no Terreiro do Paço

No próximo domingo, 10 de Junho, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas , O Pátio da Galé no Terreiro do Paço – em Lisboa – torna-se palco de uma exposição peculiar: O Fado no Cinema.

Organizada pelo Museu do Fado e pela Cinemateca Portuguesa, esta mostra pretende revelar ao público português e também às centenas de estrangeiros que visitam Lisboa em dias quentes, a simbiose entre a música e a imagem.

Desde o cinema mudo que o Fado – Património Cultural da Humanidade –  está profundamente enraízado nas películas que se vão realizando. O primeiro fonofilme português por exemplo, assinado em 1931 por Leitão de Barros, intitulava-se A Severa e o pano de fundo desta combinação mística de filme e som era a história do nascimento da canção urbana.

Além de Amália Rodrigues, pelo grande ecrã desfilaram outros nomes e outras vozes talentosas, entre as quais Ercília Costa, Fernando Farinha, Hermínia Silva, Carlos Ramos, Deolinda Rodrigues, Raul Nery, Jaime Santos, entre tantos outros.

A sonoridade tipicamente portuguesa acabou por conquistar cineastas e realizadores internacionais e não é difícil perceber porque é que nomes internacionais querem na banda sonora original dos seus filmes, música desta natureza.

Esta exposição, patente diariamente entre as 10h00 e as 19h00 e que se prolonga até ao dia 26 de Agosto vai mostrar não são a simbiose entre o fado e o cinema como também cartazes, uma fachada do mítico e desparecido cinema condes, adereços, partituras, discos, fotografias, fatos usados por Amália Rodrigues (entre outros nomes). O público terá ainda a possibilidade de assistir a filmes e micro-filmes dos anos 20 e anos 30 do séulo XX. O preço de entrada é igual para todos: três euros.

Texto de Sofia Rato

Deixar uma resposta