GURU adivinha a partir de hoje no Casino de Lisboa. Mas pouco.

Guro-03Um adivinho com clarividência nula, uma Ministra das Finanças aflita com a entrega do orçamento de estado, um deputado de esquerda que age à direita e uma jornalista que consegue matéria em troca de favores são os personagens de GURU, a peça de teatro que estreia hoje no Auditório dos Oceanos do Casino de Lisboa.

Rui Unas, Custódia Gallego, Heitor Lourenço e Susana Mendes garantem um espetáculo de gargalhadas sucessivas à conta de uma Ministra que a três dias de entregar o orçamento de estado decide contratar um Guru para lhe dar apoio espiritual. Isto à revelia do seu marido, deputado da oposição, e com a cumplicidade da filha, jornalista que a apoia em troca de matéria para o seu jornal.

Só que este Guru é uma fraude e as únicas orientações que consegue transmitir baseiam-se em coisas que lhe vêm à cabeça, como excertos de músicas dos Xutos e Pontapés.

O melhor mesmo é deixar o preconceito à porta, porque as piadas politicamente incorretas são momentos chave deste excelente texto de Henrique Dias e Roberto Pereira que parodia o esoterismo e a situação económica e política atual. E, antes de chegar ao desfecho feliz e moralizador, prepare-se para as picantes cenas dos documentários da vida animal selvagem que acabam por contagiar os protagonistas.

Com produção da UAU, e encenação de José Pedro Gomes, GURU estreia hoje, no Auditório dos Oceanos do Casino Estoril e pode ser vista de quinta-feira a sábado às 21h30 e domingos às 16h30. Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e têm o valor de 10 euros (às quintas-feiras, sem marcação de lugar) ou 15 a 20 euros às sextas-feiras, sábados e domingos.

Reportagem de Tânia Fernandes (texto) e Pedro Figueiredo (fotos)

Deixar uma resposta