GAME ON: Há um salão de jogos em Lisboa até Julho, com muitas surpresas para todos

Por Sara Peralta (Texto e Fotos)
 

Mais do que uma exposição, a Game On é um autêntico salão de jogos, como, infelizmente, não se encontram por cá.

Desde comandos para jogar Pong, Space Invaders ou Pacman projectados na parede, arcadas com Donkey Kong, Ms. Pacman, Virtua Fighter, Metal Slug ou Puzzle Bobble, a consolas da Sega, Nintendo ou Atari, passando por jogos desde o primeiro Super Mario, Sonic the Hedgehog, o clássico Secret of Monkey Island, Sim City, Tomb Raider, Halo 3 (em multiplayer), até novidades como Rayman Origins e as inovações Microsoft Kinect e Playstation Move, a escolha é muita e entretenimento não falta.

Pensando no público mais jovem, o Dia da Criança são 3 dias na maior exposição de videojogos do mundo. Amanhã dia 1 de Junho, as crianças até aos 12 anos (acompanhadas por um adulto), não pagam entrada na exposição, onde poderão assim jogar mais de 120 jogos gratuitamente, dos velhos clássicos às mais recentes sensações, ficando a conhecer a história dos videojogos.

De 6ª a Domingo, as crianças que levarem consigo um desenho sobre videojogos ganham de imediato um jogo (Sega Virtua Tennis ou bundle Indiana Jones + Panda do Kung Fu, limitados ao stock existente). Haverá peddy papers com prémio surpresa e jogos tradicionais no espaço exterior, que com certeza irão também deliciar os graúdos, levando os pequenos a experimentar o jogo de damas ou xadrez e até uma corrida de sacos.

No domingo, haverá cinema gratuito com pipocas às 11h00 e às 15h00, para assistir a Sarilhos em Timpelbach, “uma história sobre o povo de uma aldeia, em que as crianças se tornam os únicos habitantes quando os adultos decidem abandonar a terra em protesto contra o mau comportamento”.

Percorrendo as várias salas do espaço, todas escassamente iluminadas numa atmosfera onde sobressaem as luzes das máquinas, é possível ouvir exclamações perante algo que ressuscita memórias, interrogações sobre que jogo será aquele, ver pessoas coladas ao mesmo jogo, ou amigos a competirem entre si. Distribuídos por vários expositores encontram-se gameboys e diversos aparelhos portáteis, mini-arcades, comandos de toda a espécie, capacetes/óculos, e uma parafernália de artigos de Pokémon.

Em exposição estão também patentes os processos de desenvolvimento dos jogos Tomb Raider, Max Payne, Grand Theft Auto III, The Sims e Pokémon, desenhos de Monkey Island, desenhos e outro material de Under Siege, e muito mais. Videojogos à parte, existe ainda um pequeno espaço com jogos tradicionais, onde podemos encontrar por exemplo o jogo da macaca, mas os mais pequenos podem igualmente jogar e aprender com Bob the Builder, Hey you, Pikachu!, ou Cookie Monster Munch, bem como outros jogos em diferentes consolas portáteis.

Voltar a jogar jogos esquecidos, redescobrir consolas, experimentar antiguidades mais obscuras ou novidades em voga: é isto que pode fazer na Game On, onde não corre o risco de ficar sem moedas para inserir.

Quer a preferência seja o velhinho PacMan ou o Metal Slug, o clássico Sim City ou o Halo, as arcades retro ou os jogos de plataformas das consolas, a jogabilidade de Monkey Island ou os grafismos de Rayman, os botões da Neo Geo ou o comando da XBOX 360, é certo encontrar algo que entretenha, com oportunidade para descobrir e redescobrir, e jogar a solo ou em conjunto.

Em exposição no Museu de Arte Popular até dia 15 de Julho, a Game On apresenta uma programação especial com conferências, workshops e actividades, que pode ser consultada no site ofical.

Os bilhetes são grátis para crianças até aos 5 anos, 5 euros para crianças até aos 12, e 9 euros para adultos, com vários descontos disponíveis.

 

Deixar uma resposta