Fábrica ASA reabre em Guimarães com nova vida

A Fábrica Asa reabriu em Guimarães com um novo conceito e novas funcionalidades, no âmbito do programa Guimarães Capital da Cultura. É agora um espaço de criação artística com uma black box, auditório, estúdio de rádio, livraria, zonas expositivas e infopoint. 

A Fábrica Asa apresenta uma série de projectos, entre os quais destacamos, o espectáculo O Lamento de Branca de Neve, da coreógrafa espanhola Olga Mesa; a Oficina de Dramaturgia Visual, de André Guedes; apresenta a programação do Laboratório de Curadoria; o projecto a Sala, de António Lago e Susana Chiocca; O Ser Urbano, nos Caminhos de Nuno Portas é outra das exposições, comissariada por Nuno Grande, mostra as formas de construção da cidade, tendo como base a vida e obra do arquitecto e urbanista Nuno Portas, responsável pela definição das linhas políticas para habitação e reabilitação urbana, no Portugal pós-25 de Abril. Em exibição no sector J, piso 1 da Fábrica ASA. Outro projecto apresentado é a colecção CCC – Collecting Collections and Concepts, no sector G no piso zero, com obras de colecções públicas e privadas portuguesas, como as da Fundação de Serralves, da Culturgest/Caixa Geral de Depósitos, do Museu da Polícia Judiciária e a colecção de fotografia BESart – Colecção Banco Espírito Santo. O projecto inclui também novas obras, criadas para a exposição, por artistas portugueses e estrangeiros. A exposição é comissariada por Paulo Mendes.

Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta