Eleição 7 Maravilhas Naturais de Portugal: Zonas Aquáticas não Marinhas

Portas de Ródão

As “Portas de Ródão” constituem o ex-libris natural de Vila Velha de Ródão e Nisa, onde o Tejo, o mais importante rio da Península Ibérica, corre entrincheirado entre gigantes quartzíticos.

Além do forte impacto na geomorfologia da região, o Tejo assumiu durante milhares de anos grande relevância para a ocupação humana deste território.

Nas “Portas de Ródão” situa-se ainda o maior Complexo de Arte Rupestre holocénica da Península Ibérica, que reúne mais de 25 mil gravuras picotadas nos xistos, expressão de uma actividade místico-religiosa notável na Pré-História. Algumas gravuras são ainda visitáveis no Cachão de S. Simão, em Gardete e na foz do rio Ocreza.

Padrinho: Manuel Cargaleiro

Vale do Douro

O Douro é um território singular, com uma paisagem monumental resultante da acção conjugada do homem e da natureza. Aqui, as comunidades locais adaptaram-se às condições específicas do território, em muitos aspectos hostis à vida, transformando-as em factores de sobrevivência.

A construção da paisagem e o desenvolvimento de uma cultura regional centrada na vinha e no vinho, que fizeram do Douro a primeira região vitícola demarcada e regulamentada do mundo, não apagaram a força identitária dos elementos naturais. Do rio que atravessa a região montanhosa. Dos solos pobres e pedregosos das encostas de xisto. De um ambiente de feição mediterrânica, que se sente no aroma da vegetação autóctone, no microclima, quente e seco, do vale vinhateiro, que contrasta com o das terras frias circundantes, nos ecossistemas que resistiram melhor à acção do homem.

A intensidade de cores, aromas e ambientes, a raridade de certas espécies e a importância que desempenham nos equilíbrios ecológicos locais, contribuindo para a sobrevivência de elementos da fauna selvagem, constituem valores insubstituíveis do património natural do Douro. Um território de biodiversidade, onde se distinguem ecossistemas específicos e paisagens diversas.

Padrinho: Dr. Rui Moreira

Lagoa das Sete Cidades

Cenário natural de beleza única desde sempre envolto em misticismo, palco ideal para lendas que ao longo dos séculos enlevaram o imaginário colectivo, que se quedava perplexo perante tamanha grandeza natural e esplendor divino, as Sete Cidades são incontestavelmente uma das mais belas e emocionantes paisagens do Arquipélago dos Açores.

Localizado a Noroeste da Ilha de S. Miguel, no concelho de Ponta Delgada, o complexo vulcânico das Sete Cidades, local de elevada importância geológica, ecológica, hidrológica, e paisagística, é uma das imagens mais simbólicas das ilhas açorianas e um dos mais valiosos recursos turísticos da Região Autónoma dos Açores.

Padrinho: Medeiros Ferreira

Fotos de: Francisco Lourenço e New 7 Wonders Portugal

Deixar uma resposta