Dia Mundial do Animal assinalado no Zoo e um pouco por todo o país

Assinalou-se hoje o Dia Mundial do Animal, que por celebrar a vida animal mereceu a atenção de vários organismos e instituições, como por exemplo o Zoo de Lisboa. A data, que coincide com o dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais, celebra-se desde 1931, tendo surgido no âmbito de uma conferência sobre ecologia, que teve como objectivo alertar para a causa das espécies ameaçadas. Actualmente o “Dia Mundial do Animal” é celebrado por todo o mundo independentemente da religião e tem um significado muito mais amplo.

O Jardim Zoológico assinalou a data com a  chegada de cinco novas crias felinas: duas leoas e três leões, uma espécie vulnerável, e ameaçada pela diminuição e fragmentação do seu habitat, e ainda com um passatempo, no qual ofereceu entradas no parque, para além da oferta de um brinde surpresa aos visitantes mais pequenos, e a realização de vários ateliers sobre biodiversidade.

Espaço emblemático da cidade de Lisboa, procurado por miúdos e graúdos ,o Zoo de Lisboa foi alvo de melhoramentos nos últimos anos, especialmente nas “casas” dos animais no zoo, de maneira a transformá-las em zonas mais semelhantes aos seus habitats naturais e apresenta uma vasta programação.

As zonas que sofreram mais alterações foram o  Templo dos Primatas, que agora acolhe gorilas, chimpanzés e orangotangos, no Reptilário, no Vale dos Tigres, nas instalações dos Rinocerontes-indianos e dos Rinocerontes-africanos e mais recentemente  na “casa” das Chitas.

O recinto dispõe ainda de restaurantes, um teleférico, um comboio, uma zona de diversões “Animax”,  uma quinta pedagógica, um repetilário,  um bosque encantado, a “Baía dos Golfinhos” e muitas outras surpresas.

O Jardim Zoológico de Lisboa, actualmente com 126 anos, foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica e classificado como Instituição  Pública  em 1913. Acolhe actualmente cerca de 2000 animais, de 360 espécies diferentes, incluindo golfinhos e répteis.

Tem como missão principal desenvolver um parque, tanto zoológico como botânico, como um centro de conservação, reprodução e reintrodução de espécies em vias de extinção, através da investigação científica e de programas de enriquecimento ambiental, não descurando as vertentes pedagógica e lúdica.

O Zoo está aberto todos os dias das 10h00 às 19h00 no Inverno e das 10h00 às 20h00 no verão e as entradas custam 16 euros para maiores de 12 anos e para as crianças dos 3 aos 11 anos, 12 euros.

No resto do país também tiveram lugar várias acções, dinamizadas por Associações de amigos dos Animais, escolas, Câmaras Municipais e respectivos canis e gatis, com variadas actividades que tiveram lugar no fim-de-semana e se prolongaram pelo dia de hoje, comocampanhas de adopção de animais de estimação, demonstração de acções de terapia assistida com animais, importância de cães na busca e salvamento de pessoas e acções de sensibilização para a importância da recolha dos dejectos caninos em espaços públicos, entre outras.

Os objectivos das celebrações de 2010, que decorreram em cerca de 88 países são celebrar a vida animal em todas as suas formas, celebrar a relação entre a Humanidade e o Reino Animal, promover o reconhecimento dos diferentes papéis que os animais desempenham na nossa vida e agradecer pela forma como a enriquecem.

Texto de Cristina Alves e Elsa Furtado
Fotos de Elsa Furtado

Deixar uma resposta