Badasom junta Fado e Flamenco em Badajoz

cartaz_badasomCarlos do Carmo, Carminho e Buraka Som Sistema são os “embaixadores” da música portuguesa na edição deste ano do Festival de Flamenco e de Fado, conhecido como Badasom, que decorre em Badajoz entre os dias 10 e 13 de julho.

Durante três dias, o Auditório Ricardo Carapeto de Badajoz recebe algumas das sonoridades mais marcantes das culturas espanhola e portuguesa, que voltam a juntar-se, através da música, nesta cidade transfronteiriça.

O guitarrista Paco de Lucía e a artista espanhola, María Berasarte, que se apaixonou há alguns anos pelo fado, abrem o festival, no dia 10 de julho, seguidos, no dia 11, pelo português Carlos do Carmo e por um espectáculo oriundo da região da Extremadura, Territorio Flamenco, que reúne jovens artistas extremenhos de flamenco de diversos estilos.

Na sexta-feira, dia 12 de julho, será a jovem lisboeta Carminho quem sobe ao palco, partilhando a noite de música com a espanhola Diana Navarro, cuja música está inspirada nos ares do sul da Andaluzia.

Mas este ano, e como novidade, além de poder apreciar o fado com maiúsculas, BADASOM abre as portas a outras músicas, e decidiu contar com um dos grupos portugueses com mais repercussão a nível internacional, os Buraka Som Sistema, cuja actuação está prevista para o último dia do festival, a 13 de julho. Na mesma noite, os espanhois Macaco sobem também ao palco.

Este Festival, organizado pelo Governo da Extremadura e pela Câmara Municipal de Badajoz, com o patrocínio de Cafés Delta, pretende mostrar duas músicas e dois sentimentos, dois selos de identidade e o melhor no panorama musical de Espanha e Portugal nas noites estivais de Badajoz.

O Badasom volta a estar ligado, mais uma vez, a Portugal, que esteve representado desde a primeira edição do festival, em 2008.

As entradas para os espectáculos estarão à venda no teatro López de Ayala de Badajoz de 17 a 31 de maio.

Texto de Ângela Nobre

Deixar uma resposta