A mítica Dalila recordada em livro de Eleanor de Jong

dalilaÉ com mestria que Eleanor de Jong consegue retratar o tempo, o ambiente e a época histórica da luta entre filisteus e israelistas que servem de fundo a este novo título que nos chega pela chancela da Editora Planeta: Dalila.

Dalila, romance de estreia da autora, leva ao leitor uma Dalila que dista da visão que nos é dada pela história. A Dalila que é agora apresentada ao leitor é uma mulher sedutora e sensual, bem distante da cortesã difamada por ter revelado o segredo de Sansão a troco de dinheiro.

Uma história bem mais trágica esconde-se por detrás do mito. Dalila é “(…)teimosa, desejável e imprudente e a sua beleza morena e sedutora rapidamente se torna um ímã para os homens de ambos os lados em confronto. Mas também é vítima de uma sociedade patriarcal, em que as mulheres eram usadas como instrumentos políticos e simples peões de negociação.”

Na antiga Terra Santa, israelitas e filisteus estão envolvidos num amargo conflito. Sansão – um adversário poderoso e invencível – foi elevado a símbolo do heroísmo israelita e os vigorosos filisteus estão desesperados para descobrir o segredo do seu poder.

Dalila – desejável, bela, sedutora, determinada e temerária – está cansada da vida de donzela recatada. Ambiciosa, quer mais da vida e é atraída por uma proposta irrecusável: descobrir onde reside o poder de Sansão. Decide arriscar, pois o jogo da sedução é algo que a alicia. Mas este não é um jogo fácil como ganhar ou perder. Enredada na perigosa missão que teceu, Dalila faz uma descoberta impressionante, algo que nunca teria imaginado: amar e ser amada!

Mas uma sequência de acontecimentos foi posta em movimento e só um milagre poderá mudar o curso da História… Dalila descobre o segredo da força de Sansão, mas pagará um preço muito elevado: a morte de quem ama.

Eleanor de Jong é filha de académicos e cresceu na Europa, América e Reino Unido. Estudou história e política na universidade.

Dalila, de Eleanor de Jong, com 280 páginas, à venda por 18,85 euros, uma edição Planeta Editora.

Texto por Sandra Dias

Deixar uma resposta