Warhol, Rauschenberg ou Dubuffet – Os cartazes que os artistas desenharam em exposição da Culturgest

Querido, reorganizei a coleção... por artista - Cartazes da Coleção LempertReportagem de Tânia Fernandes

Andy Warhol, Robert Rauschenberg ou Jean Dubuffet são alguns dos artistas que nem sempre deixaram por mãos alheias o trabalho de comunicação das suas próprias exposições. Querido, reorganizei a coleção…por artista é a primeira de cinco exposições que a Culturgest vai apresentar, até 2018, dando a conhecer ao público em geral, os cartazes da Coleção Lemper. Iniciada na década de 1960, esta coleção privada integra cerca de 15 mil espécimes desse tipo e nunca antes foi apresentada publicamente. “Estou convencido que é a melhor coleção privada, do género, no mundo” não hesita em classificar Miguel Wandschneider, o curador.

Para esta primeira exposição foram escolhidos cerca de 600 cartazes, seguindo o critério de identificar os artistas, com os melhores trabalhos. Para Miguel Wandschneider, “todos os cartazes aqui apresentados são de uma singularidade espantosa. Tínhamos outros, de nomes até mais sonantes, como é o caso de Picasso, que iremos apresentar mais à frente”. Mas para esta primeira mostra a escolha recaiu sobre artistas cuja produção se revelasse mais consistente e interessante.

Foi dado, a cada um dos intervenientes, um espaço próprio. Com uma montagem desafogada, permite escolher o que se vê, de forma singular ou em conjunto. Mais à frente, a disposição irá obedecer a outro tipo de organização como seja a de categorias, fazendo com que algumas obras voltem a ser apresentadas, de acordo com o curador “radicalmente recontextualizadas”. Há, no entanto, a garantia de que, até à última exposição, irão entrar peças nunca antes vistas em público. “As cinco exposições não são redundantes. Vão aparecer muitos cartazes que não foram mostrados antes”.

Querido, reorganizei a coleção…por artista começa com Jean Dubuffet, passa por Claes Oldenburg, Ben Vautier, Allan Kaprow, Robert Rauschenberg, Andy Warhol, Richard Hamilton, Dieter Roth, Ellsworth Kelly, Dan Flavin, Sol Lewitt, Hanne Darboven, Richard Tuttle, Lawrence Weiner, Marcel Broodthaers e tem ponto de fuga em Gino Dominicis e James Lee Byars, dois autores com linguagens radicalmente diferentes.

Todos os cartazes foram realizados pelos próprios artistas, oferecendo, esta exposição, uma experiencia estética única. Pois, apesar de terem sido criados com uma função publicitária “são cartazes de artistas, para serem vistos no âmbito da arte e não do design. Não há qualquer enraizamento destes trabalhos nas convenções do design gráfico” esclarece Miguel Wandschneider.

Até que ponto é que este trabalho de divulgação de um evento supera essa funcionalidade e se torna, ele próprio, num trabalho artístico com valor próprio é a questão que fica para reflexão.

Querido, reorganizei a coleção…por artista pode ser vista na Culturgest de 1 de novembro a 15 de março 2015, nas Galerias 1 e 2. De segunda-feira a sexta-feira das 11h00 às 19h00 (última admissão às 18h30). Aos sábados, domingos e feriados, das 14h00 às 20h00 (última admissão às 19h30). Encerra às terças-feiras. A entrada custa 2 euros e aos domingos é gratuita.

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.