Viver O Rock In Rio Lisboa 2022 Em Família

Reportagem Elsa Furtado, Francisco Mota e P&T

family tour_rir22

O Rock in Rio (RIR) sempre se assumiu como um festival para todos, para todos os gostos, para todo o tipo de pessoas, para todas as idades, para casais, amigos, famílias e jovens, e desde 2004 em Lisboa tem vindo a adaptar-se e a tentar ir cada vez mais de encontro ao que o público “pede”, desde os artistas que atuam no Parque da Bela Vista, às experiências e ofertas que se podem ver e vivenciar no recinto, e este ano, depois de quatro anos de ausência, apostou forte nos mais jovens e nas famílias, com o Passaporte Família e a Family Tour, e foi esta experiência que os nós fomos viver.

Longe vão os idos 2004, em que o RIR aterrou em Lisboa, mais concretamente no Parque da Bela Vista, para 6 dias de concertos, surpreendeu e conquistou imediatamente os portugueses, seguiram-se várias edições em que a programação e o modelo de cartaz se foi tentando ajustar e encontrar a fórmula perfeita, como um dia dedicado a cada tipo de música e público. Quem não se lembra da mítica edição de 2010, em que Miley Cyrus e os D’zrt foram cabeça de cartaz no dia dedicado aos mais novos, em que as portas abriram mais cedo do que nos outros dias, e um recinto decorado com guloseimas (a fingir), para além de inúmeras atracções (como montanha russa, roda gigante, escorregas) faziam as delícias dos festivaleiros? Palcos dedicados à dança, zonas de gaming, uma “Tenda” de Música Eletrónica, ou a nova zona dedicada à Gastronomia.

Desde então, as crianças e as famílias têm sido sempre uma presença cada vez maior, neste grande festival de música bianual, e foi a pensar nesses festivaleiros e nos futuros, que a organização do RIR, juntamente com o parceiro principal – a Galp, criou um novo circuito interativo com experiências para as famílias, especialmente os mais pequenos, e um Passaporte Família, que permite o acesso até 5 pessoas (sendo 2 crianças e uma maior de 65 anos e 2 adultos).

Com este Passaporte as famílias começaram logo por ter acesso a um corredor e uma entrada própria, agilizando assim a entrada no recinto, depois, passando o pórtico, o primeiro passo era dirigirem-se ao balcão de chek in e aí ficar a par do percurso e das atividades para fazer. É também a altura certa para descarregar a app do festival, com os horários dos concertos e a função para ler os QR codee que vão aparecendo ao longo do percurso.

Aos mais pequenos, para além da atribuição de uma “credencial” é também colocada uma pulseira com um contacto de um adulto, para o caso de ser preciso, e oferecido um chapéu para proteger do sol, (um dos cuidados mais importantes a ter num festival de verão), e então, estamos prontos para começar a Family Tour.

Primeiro ponto de paragem – A Esfinge, aqui, os animadores desafiam os mais pequenos a fazer algumas atividades, como bolas de sabão gigantes com cordas, podemos ver artistas com andas, mimos, entre outras surpresas. Mesmo ao lado, o ritmo do palco Yorn e a dança, fazem desta paragem uma das mais atractivas do percurso.

Seguimos viagem e vamos até ao Galp Back Stage, é hora de transformar os pequenos festivaleiros em estrelas de rock, da maquiagem à roupa, passando pelo cabelo, nada é esquecido aqui, e o que eles se divertem. Para o descanso, um lounge com algumas distracções e mesas para fazer pinturas está ao dispor de miúdos e graúdos.

Paragem seguinte, o stand da Cinemundo, onde os Super Pets (filme que estreia a 28 de julho em Portugal) atraem os mais pequenos e podem ganhar convites duplos para o filme ou até um cativante peluche.

Avançamos até à Roda Gigante, que temos hora marcada, mas a passagem pela Game Square leva-nos a encontrar personagens conhecidas, como as Princesas Disney, Naruto ou até personagens de Star Wars.

Depois de desfrutarmos de uma viagem na roda e apreciar a vista espetacular de todo o recinto, avançamos para a Rock Street, onde a School of Rock atua. Na rua mais animada e colorida do Festival encontram-se mais dois pontos de paragem, o Yellow Submarine (inspirado na famosa música dos Beatles), onde um marinheiro e uma sereia convidaram para uma foto.

Terminamos com David Bowie, onde nos aguarda um grupo de animadores a fazer malabarismos e uma artista a fazer caricaturas. No final, depois do percurso realizado é tempo de ir receber o prémio prometido.

São quase horas de ir ouvir António Zambujo, mas antes, ainda deu tempo para passar na Game Zone, onde foi possível experimentar algumas das consolas existentes no mercado e e testar os jogos do momento.

O dia já vai longo para os mais pequenos, mas os concertos no Palco Music Valley e no Palco Mundo prometem, sem contar com o espetacular fogo de artifício, é mesmo aproveitar até não poder mesmo, e despedimos-nos com Delfins, num regresso após 12 anos sem atuarem juntos ao vivo. Um concerto para os mais velhos, mas que também cativa os mais jovens, fechando assim em beleza esta experiência musical em família.

Daqui a dois anos (2024) o RIR está de volta, Roberta Medina já confirmou, e os P&T prometem voltar também.

Veja aqui a reportagem do C&H da edição de 2022 do festival:

A Dança Da Chuva Com Muse Na Primeira Noite De Rock In Rio Lisboa
Segundo Dia de Rock In Rio Lisboa Na Vibe Da Dança
Recordações Dos Êxitos Dos Anos 80 Continuam A Ser Receita De Sucesso

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.