Um olhar sobre os animais e a natureza em Exposição no CAM da Gulbenkian

Animalia e Natureza

Juntamente com a inauguração da exposição de António Dacosta a Gulbenkian abriu a exposição Animalia e Natureza na Coleção do CAM, relacionada com os animais pintados por Dacosta. Ocupa o Hall e a nave do CAM e reúne cerca de 60 obras em pintura, desenho, escultura, fotografia e vídeo de artistas como Paula Rego, Julião Sarmento, Júlio Pomar, Graça Morais, Miguel Branco, Gabriela Albergaria, Gerard Byrne, Steven Campbell ou Thomas Joshua Cooper.

O primeiro contacto com a exposição dá-se no Hall perante a obra Amazônia de Julião Sarmento. A escultura em madeira, com a forma de casa rudimentar, sem portas ou janelas, leva-nos a espreitar pelas ranhuras das tábuas. O visitante mais curioso poderá observar um corpo de mulher nu, deitado numa cama de galhos, de pernas abertas, desenhado a carvão por cima da tinta verde que cobre o interior da estrutura. O verde, designado de verde amazónia, trata-se de um pigmento adquirido pelo artista nessa região do Brasil.

A exposição constrói-se a partir do universo iconográfico dos animais e dos quatro elementos naturais presentes na obra de António Dacosta, que encontra também na natureza uma forte ligação à memória e aos monstros que a ocupam, tal como se poderá ver simultaneamente na retrospetiva do pintor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Animalia e Natureza na Coleção do CAM pode ser vista no Centro de Arte Moderna da Gulbenkian, até ao dia 31 de maio de 2015, de terça-feira a domingo das 10h00 às 17h45. A entrada na exposição tem um custo de 5 euros (descontos para jovens). A entrada é gratuita aos domingos.

Reportagem de Tânia Fernandes

 

 

 

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.