Um Desconcerto… Desconcertante! No Teatro Tivoli Em Lisboa

Por Sónia Ramalho (Texto e Fotos)

César Mourão é o mestre do improviso. Disso ninguém tem dúvidas. Mas o que acontece quando junta em palco Luísa Sobral, António Zambujo e Miguel Araújo? Além de cinco espetáculos esgotados estão garantidas muitas gargalhadas, improvisações com o público e músicas inéditas, escritas e interpretadas na hora.

Foi o que aconteceu no espetáculo de ontem no Teatro Tivoli. O público, parte integrante deste desconcerto, testemunhou como se compõe uma música e o que pode servir de inspiração. Que o diga Margarida, cujo conteúdo da sua mala e carteira, além de ter sido visto e revisto por César Mourão, serviu de inspiração para a primeira música, escrita por Luísa Sobral e Miguel Carvalho e interpretada por António Zambujo.

“Vamos tentar extrair do público histórias que poderão servir de inspiração para construir letras de músicas. Essa é a magia”, revelou César Mourão durante a apresentação do espetáculo aos jornalistas. “Vamos usar vários formatos para chegarmos às músicas”.

Para Luísa Sobral, o melhor de tudo é que os espetáculos vão ser sempre diferentes. “Vai ser uma experiência única. Tudo o que se vai passar vai ter a ver com o público que está a assistir e por isso é que é especial”.

As falhas, as hesitações, as brancas vão fazer parte do espetáculo, ninguém espera que saia logo algo perfeito à primeira tentativa. E às vezes pode acontecer um brainstorming prévio e as pessoas podem ouvir o que estamos a dizer”, revelou António Zambujo, que não conseguiu conter as gargalhadas à medida que ia cantando a primeira letra da música deste desconcerto, que teve como inspiração o conteúdo de uma mala.

“O erro tem de fazer parte deste espetáculo, são esses erros que as pessoas querem ver. Nós assumimos e brincamos com o erro”, assumiu César Mourão para quem este desconcerto é algo inédito no mundo. “Não encontrei nada semelhante, talvez possa haver no Burkina Faso, mas que eu conheça não há nada igual”.

Os próximo concertos vão ter lugar a hoje no Teatro Tivoli, e no Porto no Teatro Sá da Bandeira nos dias 16, 17 e 18 de abril. Os bilhetes estão à venda nas bilheteiras dos teatros, online e custam entre 20 e 40 euros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.