Túlia Saldanha em exposição no CAM da Gulbenkian

DSC_0014Reportagem de Tânia Fernandes

A obra de uma das primeiras artistas a trabalhar, em Portugal, no campo da performance e da instalação pode ser vista no CAM da Gulbenkian até ao final de setembro. Túlia Saldanha explorou a criação de ambientes, para além do desenho e da pintura. A exposição foca-se no percurso artístico e no conjunto da sua produção artística, desenvolvido entre finais das décadas de 1960 e de 1980.

A exposição, com curadoria de Rita Fabiana e Liliana Coutinho, apresenta ainda um núcleo dedicado aos trabalhos coletivos e colaborativos, como as ações performance que realizou com o escultor Robert Schad nas 100 horas a desenhar, em dezembro de 1981. “Foi um trabalho de encontro, de partilha de espaço entre dois artistas com o público” referiu Robert Schad, durante a apresentação da exposição. Esta dimensão de partilha reflete também a preocupação de Túlia com a pedagogia artística. Sem formação artística académica, Túlia Saldanha tem um percurso artístico atípico. Iniciou o processo criativo tardiamente, através do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra. O seu trabalho desenvolve-se não só nas vertentes da criação artística como na gestão de atividades.

This slideshow requires JavaScript.

Túlia Saldanha pode ser vista no CAM, da Fundação Gulbenkian, até dia 28 de setembro de 2014, de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00. A entrada custa 5 euros. É gratuita aos domingos.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.