Três peças encerram Mostra de Teatro de Santo André

Após duas semanas do seu arranque, Santo André, em Santiago do Cacém, vai assisitir ao último fim-de-semana da 12ª Mostra Internacional de Teatro de Santo André, que terá o seu desfecho na próxima segunda-feira. Pelos palcos do evento faltam ainda passar três companhias profissionais, que irão apresentar as peças: O Velho da Horta, Solum e Nós Matámos o Cão Tinhoso.

No Salão Social do Clube Galp Energia vai ser apresentada, esta sexta-feira à noite, a peça O Velho da Horta. Em palco, a companhia Teatro ao Largo vai contar a história de “um velho rico, gozando dos prazeres da sua horta, que se apaixona por uma jovem que veio para comprar alguns temperos. Uma alcoviteira manhosa oferece-lhe os seus serviços e consegue espolialo de todos os seus bens. O velho, com a vida em ruínas, sem dinheiro e a esposa e as filhas desamparadas, lamenta a sua estupidez”. O espectáculo, que inclui música ao vivo, canções e rotinas de comédia física e explora a riqueza da peça original, é direccionado para toda a família, seguindo a política artística do grupo de levar farsas clássicas ao público em geral.

Na noite seguinte, será a vez da companhia Teatro do Mar apresentar, no Centro de Actividades Pedagógicas Alda Guerreiro, um espectáculo multimédia não verbal. Representado numa estrutura cénica de grande porte, alusiva a uma árvore, Solum cruza o teatro físico e visual com as linguagens do circo/acrobacia aérea, da dança, do vídeo e da música original, debruçando-se essencialmente sobre a natureza humana e a transformação das nossas raízes culturais e afectivas, face a uma ideia de progresso e globalização. Do natural ao artificial, do corpo real ao corpo digital, da partilha ao isolamento, da raiz essencial ao fruto do nosso tempo, Solum acaba por revelar, no final, uma alegoria à árvore “da vida”, uma metáfora da consciência universal, da força criadora de toda a existência.

A encerrar a Mostra, o Teatro O Bando apresenta, no Auditório exterior da Escola Secundária Padre António Macedo, a peça Nós Matámos o Cão Tinhoso, que invoca o coro e a estrutura das tragédias para traçar o conflito que a todos nos percorre. Esta peça fala do conflito que se ergue entre aquilo a que aspiramos e aquilo que fazemos, entre o que lembramos e o que crescemos, entre o que amamos e o que tememos. Segundo a sinopse apresentada pela companhia, “ao olharmos o cão tinhoso vemos também o cão que somos, o cão do medo, o cão da guerra, o cão colonizado, o cão colonizador, o cão coragem, o cão da decadência, o cão de fantasia, o cão da ingenuidade, o cão criança adulta, o cão fatalidade. Porque todos os gestos que desenhamos no exterior já aconteceram antes disso dentro de nós”.

O programa da 12ª Mostra Internacional de Teatro de Santo André engloba 15 companhias profissionais, quatro delas internacionais e um grupo universitário. Que durante 18 dias apresentam, em diferentes palcos de oito localidades distintas, um total de 30 sessões de teatro.

 

 

Texto de Cristina Alves

 

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.