Praia de Torres do Mondego recebe primeiro festival de danças do Mondego – atualizada

Numa iniciativa de escala regional inédita e com o objectivo de dinamizar o território do “maior rio português”, chega este verão o MUN’Danças 2012 – Festival de Danças no Mondego, que decorre de 26 a 29 de julho e 1 e 3 de Agosto na Praia Fluvial de Torres do Mondego (Coimbra), seguido de Festa na Aldeia no dia 4 de agosto, com jogos tradicionais, danças irlandesas, ranchos folclóricos e grupos de cantares, atividades no rio Mondego e um jantar regional, entre outras iniciativas.

Segundo a Associação de Projeto e Desenvolvimento do Parque Patrimonial do Mondego (APD-PPM) – que é a organizadora do evento –, “o festival pretende reforçar a coesão territorial e ligar o rio Mondego ao mundo através da música, da dança, das tradições e da festa popular”.

O MUN’Danças envolve a participação das comunidades locais, através da integração de grupos musicais e de dança regional e ainda da criação de oportunidades de negócio em mercados, bares e restauração.

O festival conta mais de 20 bandas folk (sete estrangeiras, nomeadamente europeias, africanas e brasileiras), 20 oficinas de música e dança, Espaço OM (destinado a ioga, meditação, relaxamento, praticas orientais), oficinas de instrumentos, de permacultura, de expressões, dezenas de actividades infantis, grupos folclóricos, tertúlias culturais, visitas guiadas, actividades lúdicas e desportivas, contadores de histórias e cozinha espiritual nas margens e no rio. As actividades no rio, os passeios na Natureza, as tertúlias culturais e a diversificada oferta de gastronomia regional e biológica são outros atractivos desta iniciativa.

Prossegue a venda antecipada de bilhetes que nesta fase (até 22 de Julho) ainda confere descontos. Os detentores de bilhete geral usufruem de campismo grátis junto às praias em áreas reservadas e muitos outros benefícios.
A organização tem uma bilheteira online que está acessível aqui, com uma nova funcionalidade de compra fácil através de referência Multibanco.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.