Espetáculo Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos Passou Por Portugal

Todos Os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos – este é o título do espetáculo que Charles Möeller e Cláudio Botelho encenaram e apresentaram esta semana em Portugal, após de 2 anos de grande sucesso no Brasil. Mas na verdade não foram 90 minutos de espetáculo – foram mais perto de 135 (140) minutos, que os espectadores portugueses puderam assistir, sem intervalo.

Musical Chico BuarqueEste é um espetáculo para fãs de Chico Buarque ou então para quem goste de musicais e de música brasileira, pois só assim para compreender e poder acompanhar as músicas que se vão ouvindo em palco, interpretadas pelo leque de oito atores e quatro músicos que compõem esta companhia.

Lilian Valeska, Soraya Ravenle, Malu Rodrigues, Claudio Botelho, Maria Bravo, Estrela Blanco, Renata Celidonio, Davi Guilherme, Felipe Tavolaro, Gabi Porto, Rodrigo Cirne, Carol Bezerra e Thuany Parente homenageiam Chico e a sua obra relembrando temas de musicais como Gota d’ Água, Ópera do Malandro, O Corsário do Rei, Calabar, Quando o Carnaval Chegar, O Grande Circo Místico, Dona Flor e seus Dois Maridos, entre outros.

O grupo interpreta uma companhia de teatro itinerante e vai de número em número relembrando o seu percurso e o seu passado. Com um cenário simples, feito de andaimes, em que tudo se vê, a peça vive da interpretação e do carisma dos seus atores. Eles brincam com o público, interagem, chegam mesmo a levar um grupo de espetadores para cima do palco, e vão fazendo algumas piadas e referência à cidade onde estão – neste caso Lisboa.

“O Circo Místico”, “Roda Viva”,  “Ciranda de Bailarina”, “Beatriz”, “Agora eu era herói” – das mais conhecidas e aplaudida entre o público presente, “Baioque”, O Que Será (À Flor da Pele), “Noite dos Mascarados”, “Gota d’Água”, “Flor da Idade” – que fechou o espetáculo, foram alguns dos temas mais apreciados  e que o público tentou acompanhar.

Ao longo de mais de duas horas as palmas foram-se ouvindo no final de cada número, umas mais tímidas do que outras, mas sempre constantes, ou não fosse esta peça e este leque de atores premiados e de reconhecida qualidade no Brasil (e não só) e o autor das canções – Chico – Francisco Buarque de Hollanda tido como um dos maiores compositores e autores de sempre da música brasileira e da MPB.

À saída, foi com a sonoridade e o sotaque brasileiro no ouvido que saímos a cantarolar … “na, na, ra, na, na, ra ra …” de “A Flor da Idade”.

Fotos de Joice Fernandes
Texto de Elsa Furtado 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.