TNSJ Apresenta Antes Que Matem Os Elefantes De Olga Roriz

Até dia 28 de janeiro, o Teatro Nacional São João, no Porto, acolhe o espetáculo Antes que Matem os Elefantes, a mais recente criação da coreógrafa Olga Roriz sobre o drama dos refugiados da Síria.

Antes Que Matem os Elefantes abre num registo documental, com vozes de crianças sírias projetadas num ecrã negro ao fundo do palco. Na penumbra vê-se um apartamento em ruínas com um frigorífico destruído e cobertores e colchões sujos de pó que ainda paira no ar. Sete bailarinos começam a dançar, lutando para criar uma ligação entre vida real e realidade mediatizada, uma espécie de construção de humanidade em decomposição que está a ser ameaçada por condições exteriores.

A peça chega ao TNSJ depois de ter estreado em abril de 2016 no Centro Cultural de Ílhavo e ter percorrido várias cidades portuguesas. O espetáculo pretende alertar para a indiferença e esquecimento com que esta tragédia contemporânea – a guerra civil na Síria e a consequente crise de refugiados – é abordada.

Antes que Matem os Elefantes remete-nos para uma ideia de extinção, mas também de sobrevivência, sugerindo a iminência de uma catástrofe que é também a possibilidade de lhe oferecer alguma resistência. No final, o espetáculo recusa qualquer tipo de consolo e deixa-nos uma incomodativa pergunta: o que podemos nós fazer aqui?, descreve a produção.

Olga Roriz – que esteve em contacto com refugiados na Grécia para construir o espetáculo – é acompanhada por Paulo Reis na dramaturgia, cenografia e figurinos. Em palco vão estar Beatriz Dias, Carla Ribeiro, Marta Lobato Faria, André de Campos, Bruno Alexandre,
Bruno Alves e Francisco Rolo.

Antes que Matem os Elefantes é uma coprodução entre Companhia Olga Roriz, Centro Cultural de Ílhavo/Câmara Municipal de Ílhavo e pode ser vista às 21h00. O espetáculo é para maiores de 12 anos e o preço dos bilhetes varia entre os 7,50 euros e os 16 euros, e podem ser adquiridos no local e online.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.