The Old House Celebra Segundo Aniversário com Apresentações de Dança das Máscaras

Reportagem de Tânia Fernandes

The Old House

A dança das máscaras, tradicional da região de Sichuan, é uma das iniciativas programadas para assinalar o segundo aniversario do restaurante The Old House. As apresentações tem lugar entre 5 e 10 de julho, no decorrer das refeições.

Bian Lian, é o nome dado a esta arte de dança em que há uma rápida troca de máscaras. O artista veste um fato tradicional e movimenta o corpo de forma graciosa, com um leque na mão. De forma repentina, e sem que se perceba muito bem como, com um toque rápido na face, muda de máscara várias vezes no decorrer da dança. Até chegar ao seu próprio rosto, interpela os presentes e capta a atenção de todos. A arte começou a ser praticada durante a dinastia Qing e os artistas mais habilitados chegam a mudar de rosto vinte vezes.

The Old House, é o restaurante que há dois anos confeciona gastronomia tradicional da província de Sichuan, na China. Fiel à origem, tem assim conseguido conquistar clientes fieis aos princípios orientais. Mas tem também conseguido adaptar-se aos hábitos ocidentais, quando necessário.

No geral, pode contar com pratos meticulosamente preparados, bem condimentados de especiarias e na sua maioria, picantes (devidamente assinalados). Quer a carne como o peixe, vêm habitualmente guarnecidos de vegetais, num equilíbrio bastante saudável.

Começámos a refeição com um prato de Algas Chinesas, também conhecidas como “orelhas de rato”. A curiosidade deste vegetal, é a sua proveniência. É uma alga que cresce em tronco e não tem origem no mar. É importada para o The Old House diretamente de Sichuan, pois é muito difícil de encontrar por cá. Com uma textura diferente, revela-se saborosa e é servida com um molho de vinagrete.

De forma rápida, a mesa enche-se de boas propostas. É mesmo esta a tradição, trazer tudo para a mesa até ao final da refeição. Acompanho a refeição com o aromático chá de jasmim, mas é-me colocado ao lado um outro bule mais pequeno, com uma taça também menor que uma chávena. Cheiro o liquido e é inquestionável o aroma de canja. Explicam-me que esta sopa tem na base um caldo de galinha, ao qual é acrescentada uma erva chinesa. Trazem-me no início da refeição, acompanhando os preceitos nacionais, de que a sopa é servida antes do prato principal. Mas ficamos a saber que os chineses ingerem-na no final da refeição, por ter propriedades calmantes para o estomago. E parece que também afrodisíacas.

As Lulas salteadas com Jiucai fazem-nos abrir a boca de espanto. Os pratos são para saborear, mas também promovem prazer aos restantes sentidos. Neste caso, as pernas das lulas são trabalhadas, com cortes, como que esculpidas.

Provamos também o prato de Cogumelos rei salteados(xingbaogu) e ainda uma opção para quem não aprecia picante: as Gambas com amendoim. Um prato quase doce, com courgette, muito saboroso. O desafio da mesa é o prato de Coelho crocante salteado com malaguetas.

Vem também um tacho de arroz com soja. Sabemos que são os portuguesas quem mais requisita este acompanhamento e ficamos a saber que os chineses, só comem o arroz no final. Mais uma vez, um hábito que revela sabedoria. Os hidratos, vêm só no momento em que o estômago já se encontra relativamente saciado, impedindo assim a ingestão em demasia.

A sobremesa não é um hábito na região, e a existir, por norma não é muito doce. No entanto, muitos dos asiáticos que visitam o espaço recordam-se de comer Bing Fen, quando eram crianças. A sobremesa é servida num pote de vidro que destapamos quando chega à mesa. Dentro da taça, boiam pedaços de gelatina incolor numa calda doce, que contém passas, caramelo, pedaços de amendoim e sementes de sésamo. Um doce fresco, que este mês, está com 50 % de desconto (um por mesa).

Durante também todo o mês de julho estão em vigor promoções que assinalam o segundo aniversário do restaurante: por cada 50 euros de refeição é atribuído um voucher no valor de 10 euros; são entregues presentes em cada mesa; todos os dias há um prato que se encontra com 50% de desconto; em caso de comemoração de aniversário, o cliente recebe 15% de desconto e oferta de noodles; oferta de uma travessa de fruta em caso de reserva antecipada; o menu infantil tem 50% de desconto.

The Old House

O The Old House fica localizado no Parque das Nações e serve refeições das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 23h00. Tem um preço médio por pessoa de 20 a 25 euros.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.