Tesouros do Kremlin em exposição na Gulbenkian

czares_12Reportagem de Tânia Fernandes

Os Czares e o Oriente – Ofertas da Turquia e do Irão no Kremlin de Moscovo, a exposição que inaugura hoje na Gulbenkian, é uma prova de que o ato dar é mais do que simplesmente entregar algo como presente. O ouro rima com pedras preciosas, nesta mostra que reúne peças oferecidas aos czares russos, nos séculos XVI e XVII, provenientes da Turquia otomana e do Irão safávida. Oportunidade única de ver uma seleção de 66 peças da sumptuosa coleção do Museu do Kremlin de Moscovo, apresentadas pela primeira vez na Europa.

Concebidos nas oficinas das cortes do Irão, Turquia e Rússia, os objetos em exposição são o testemunho das relações económicas, políticas e diplomáticas entre a Rússia e os seus vizinhos orientais. O luxo e a elaborada composição de cada peça confirmam o propósito de impressionar pela opulência. Atestam também o fascínio pelo exótico e a expressão artística do Oriente.

czares_07Em perfeitas condições de conservação, há objetos que foram essenciais na vida quotidiana da corte Russa, usados como adornos nos atos oficiais dos czares, nas campanhas militares e cerimónias religiosas nas igrejas do Kremlin. Roupas cerimoniais, tecidos, ornamentos e joias fazem parte deste tesouro, bem como luxuosos acessórios para os cavalos como os ricos e trabalhados conjuntos de arreios, estribos e selas. Como é possível apreciar nesta exposição, os animais tinham ainda direito a pequenos adornos como caneleiras, pendentes de pescoço e correntes decorativas.

Pequenos tesouros pessoais não foram esquecidos nesta mostra. Evidência do luxo pessoal encontra-se o cantil oferecido pelo príncipe de Quasim ao czar em 1643. Um objeto utilitário, destinado a armazenar líquidos, aqui transformado em símbolo de prestígio pela elaborada e rica decoração. Curioso é também o conjunto de escrita exposto, que consiste num tinteiro e estojo. O tinteiro, executado em lápis lazúli, apresenta incrustações de pedras preciosas, todo ele decorado com minúcia e recorrendo a avançadas técnica de joalharia, para a época.
Nas armas, há exemplos de punhais, sabres ou machados em que só a lâmina escapa aos materiais preciosos, permitindo desta forma cumprir a função para a qual foi criada.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A exposição Os Czares e o Oriente – Ofertas da Turquia e do Irão no Kremlin de Moscovo, está organizada em torno de quatro núcleos temáticos: a “Horda de Ouro”, o “Irão no Período Safávida”, a “Turquia Otomana” e a “Rússia dos Czares”. Pode ser vista Sala Exposições Temporárias do Museu Calouste Gulbenkian até ao dia 18 de maio, das 10h00 às 18h00. Encerra às segundas feiras. A entrada custa 4 euros e é gratuita aos domingos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.