Temporada 2018/2019 Do Teatro Nacional D. Maria II Arranca Com Entrada Livre

Sob o mote “Há Lugar para Todos”, o Teatro Nacional D. Maria II (TNDM II) apresentou a temporada 2018/2019, de forma a tornar o acesso à criação artística cada vez mais democrático, plural e inclusivo.

A nova temporada estreia-se com Entrada Livre, dois dias (15 e 16 de setembro) de portas abertas, com espetáculos para todas as idades, concertos, lançamentos de livros, exposições e feira do livro de teatro.

Teatro, com texto e encenação de Pascal Rampert, é a primeira peça da temporada e sobe ao palco da Sala Garrett no dia 15 de setembro. O espetáculo, feito de recordações, de vozes, de palavras decoradas e de espetáculos adorados, traz ao palco todo o amor pelo teatro. Em cena até ao dia 14 de outubro, Teatro conta no elenco com nomes como Beatriz Batarda, Cirila Bossuet e João Grosso.

O texto de Samuel Becket, Á Espera de Godot, estará em cena de 15 de setembro a 7 de outubro, na Sala Estúdio. Com encenação de David Pereira Bastos, o espetáculo com Albano Jerónimo, David Pereira Bastos e Miguel Moreira, tem como principal intuito manter vivo o texto para atores e público.

A Trilogia da Juventude do Teatro Experimental do Porto, cujo propósito é revisitar o passado através de elencos jovens e descortinar caminhos e narrativas, apresenta O Grande Tratado da Encenação, de 11 a 14 e 27 de outubro; A Tecedeira de Zola, nos dias 18 a 21 e 27 de outubro e encerra com Maioria Absoluta, de 25 a 29 de outubro.

Da companhia Teatro Praga chega o espetáculo Worst Of, de 1 a 18 de novembro. Um olhar sobre a história da dramaturgia nacional.

De 15 de novembro a 16 de dezembro, a sala Estúdio acolhe Quarto Minguante, um texto de Joana Bértholo, escrito no contexto da 1ª edição do Laboratório de Escrita para Teatro, coordenado por Rui Pina Coelho, no D. Maria, com encenação de Álvaro Correia.

A 8ª edição do LEFFEST, Lisbon & Sintra Film Festival, de 16 a 25 de novembro, é um dos festivais que passa pelo TNDM II. Com cartaz a anunciar o Festival continua a apostar na diversidade cultural, abrangendo cinema, literatura, música e artes plásticas, entre outras formas de arte.

As peças C’est la Vie e Moi, Corinne Dadat, de Mohamed El Khatib, estarão em cena nos dias 28 e 29 de novembro e 30 de novembro e 1 de dezembro, respetivamente. O testemunho sobre a dor indizível de perder um filho e a recriação da intimidade da classe popular são os temas de cada um dos espetáculos do dramaturgo francês.

Inspirado no clássico As Ligações Perigosas, de Choderlos de Laclos, estará em cena de 11 a 13 de dezembro, o espetáculo Quartet, das companhias Rosas e tg Stan.

A iniciativa Natal no Nacional traz as peças Alice no País das Maravilhas, de 27 de dezembro a 6 de janeiro, numa encenação de Maria João Luís e Ricardo Neves-Neves e Olá, Eu Sou o Pai Natal que chega a 3 de janeiro, com texto e encenação de Tiago Barbosa.

Sopro, de Tiago Rodrigues, estreado o Festival de Avignon e descrito pelo Le Fígaro com “uma homenagem vibrante ao teatro e àqueles que o fazem”, estará em cena de 11 a 19 de janeiro.

O Ciclo Recém-Nascido acolhe os espetáculos E Todas As crianças Loucas, de 11 a 13 de janeiro e Uma Frida, de 18 a 20 de janeiro.

Montanha-Russa, de Inês Barahona e Miguel Fragata, com música de Hélder Gonçalves, de 23 a 27 de janeiro, promete voltar a desafiar as leis da gravidade, numa ligação entre teatro e música, mergulhando no mundo da adolescência.

A partir do livro The Scarlet Letter, de Nathaniel Hawthorne, a sala Garrett acolhe, nos dias 1 e 2 de fevereiro, a peça homónima encenada por Angélica Liddell.

O espetáculo de teatro documental chega com Amores Pós-Coloniais, em cena de 7 a 24 de fevereiro, numa tentativa de reflexão sobre o amor em tempos de guerra.

A partir do texto Carta a D.(Lettre à D.), de André Gorz, uma declaração de amor à sua mulher Doreen Klein, chega à Sala Garrett, de 13 a 17 de fevereiro, a peça Doreen, com texto e encenação de David Geselson.

A tragédia e o drama de Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, com encenação de Miguel Loureiro, chegam ao TDNM a 1 de março. A peça poderá ser vista até o dia 7 de abril.

De 28 a 31 de março, o espetáculo Sequências Narrativas Completas de João de Sousa, inspirado a partir da obra homónima de Álvaro Lapa, cruza dramatização textual, monólogo interior e ensaio sobre a vida.

Boca Aberta, espetáculos para a infância; Clube dos Poetas Vivos; Primeira vez; Festival Antena 2; Bienal BoCA e Laboratório para Escrita de Teatro são algumas das iniciativas apresentadas pelo TNDM para a temporada 2018/2019.

O TNDM apresenta uma nova oferta de assinatura com 5 espetáculos a 40 euros; 10 espetáculos a 70 euros e 20 espetáculos a 120 euros, e podem ser adquiridos na bilheteira do teatro.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.