Temporada 2018/2019 Do Teatro Da Trindade Arranca A 12 De Setembro E Conta Com Assinatura De Diogo Infante

A temporada 2018/2019 do Teatro da Trindade Inatel, em Lisboa, é da inteira responsabilidade de Diogo Infante, diretor artístico do teatro e inclui uma produção própria e dez coproduções de teatro, com duas óperas, um espetáculo de dança e oito espetáculos musicais, que sobem ao palco das Sala Estúdio e da Sala Carmen Dolores (antiga Sala Principal), entre setembro 2018 e julho 2019.

A temporada estreia-se a 12 de setembro, com a peça A Pior Comédia do Mundo, na sala Carmen Dolores, uma coprodução TTI e Força da Produção e a 13 de setembro, com a peça Os Credores, na Sala Estúdio, numa coprodução TTI e C.R.I.M. Produções.

A primeira, partindo do original Noises Off de Michael Frayn, com tradução de Ana Sampaio e encenação de Fernando Gomes, constitui um olhar alucinantes sobre o teatro e apresenta a comédia e o drama dos bastidores de uma peça.

Os Credores(1888), de August Strindberg, com tradução de João Paulo Esteves da Silva e encenação de Paulo Pinto, põe a descoberto conflitos e questões que mesmo após 130 anos continuam atuais e pertinentes.

Segue-se as peças Boa Noite Mãe, o diálogo entre mãe e filha escrito pela dramaturga americana Marsha Norman. A peça Night Mother (1983) com estreia na Broadway e com adaptação cinematográfica, tem tradução de Ângela Pinto e encenação de Hélder Gamboa, e estará em cena de 17 de outubro e 25 de novembro.

A ópera ocupa o palco de 8 a 18 de novembro, com A Canção do Bandido, com um libreto de Pedro Mexia, com música e direção musical de Nuno Côrte-Real. Nota ainda para a ópera Ninguém & Todo-o-Mundo, no dia 22 de junho, pelas 21h00, com um programa dividido em quatro quadros, estruturados de um percurso de ida-e-volta entre o contemporâneo e o século XVI.

O teatro para bebés, dos 0 aos 3 anos, Junto, é o convite, de 1 de dezembro a 20 de janeiro, para o pequeno espetador participar ativamente no espetáculo e ocupar o palco-cenário, através de texturas, sons e dança.

No final de janeiro, sobe ao palco da Sala Estúdio, a peça Boudoir, a partir do universo literário do Marquês de Sade, um projeto de Martim Pedroso e Nova Companhia, com direção de Martim Pedroso. Segue-se a 13 de fevereiro, a estreia de Zoom, a partir do texto Time Stands Still (2009) de Donald Margulies, com tradução e encenação de Diogo Infante, uma história sobre os horrores da guerra, a destruição e a morte, protagonizada por Sandra Fareleiro, João Reis, Sara Matos e Virgílio Castelo.

A 20 de março estreia a peça #Emigrantes, a partir da obra do dramaturgo polaco Slawomir Mrozek, com encenação e dramaturgia de Ricardo Bóleo. Pedro Barroso e Vítor a Silva constituem o elenco desta peça que explora, em última instância, a sobrevivência humana e a vulnerabilidade coletiva.

O clássico Romeu e Julieta de William Shakespeare, 3Gods de Rui Neto e O Testamento de Maria de Colm Tóibin, são as peças que sobem ao palco das Salas do TTI em abril, maio e junho, respetivamente. Rivalidade familiar, relações familiares de divindades e proximidade entre teatro e público constituem o cerne de cada uma das três peças.

Na música e dança, o TTI acolhe o P.L.I.N.T., trio de piano, baixo e bateria, no dia 18 de julho; o Sulcanto, no dia 20 de julho, espetáculo de Fado, Flamenco e Cante Alentejano; o concerto Aqui Existo, do albúm homónimo de Sandra Correia, no dia 23 de julho, todos às 21h00.

De 4 a 7 de julho, Exstecia invade o teatro, com um espetáculo de dança com 6 bailarinos em palco. Dança que volta, de 26 a 28 de julho, com o espetáculo Home 2.0, que explora a relação entre o astronauta e a Terra.

Nota para a 36ª edição do Festival de Almada, a decorrer no TTI, de 8 a 14 de julho e o habitual espetáculo dos finalistas da licenciatura de Teatro da Escola Superior de Teatro e Cinema de 28 a 30 de junho.

Ainda na esfera musical e no âmbito do Festival Música do Mundo de Sines, o TTI recebe o Ciclo Mundos, em setembro (25), outubro (23) e novembro (20).

Por fim, o TTI lança o Prémio Miguel Rovisco, para novos textos teatrais, com um prémio monetário no valor de 2500 euros. A entrega dos trabalhos decorre entre 1 de dezembro de 2018 a 1 de janeiro de 2019. A obra premiada será publicada pelo TTI e levada a cena na temporada 2019/2020.

Os bilhetes para os espetáculos estão à venda online e na bilheteira do teatro.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.