TeCA apresenta Folle Époque

A peça Folle Époque, do coletivo Silly Season, estreia no Teatro Carlos Alberto (TeCA), no Porto, no dia 22 de outubro. O espetáculo «estabelece um paralelismo entre a atualidade e uma era de prosperidade e falência» e estará em cena de 22 a 25 de ourubro.

Passaram-se quase cem anos desde os “loucos anos 20”. Será que os novos vão ser tão arrebatadores como aqueles que são retratados nos livros de história? Procurando responder a esta questão, através de um vaivém entre o passado e um presente incerto, o coletivo SillySeason apresenta-se pela primeira vez nos espaços do Teatro Nacional São João (TNSJ) com a estreia de Folle Époque.

Os anos 1920 foram uma década próspera, mas também de falência, marcado pela emancipação das mulheres e a afirmação das artes e da cultura, mas também pelo crash bolsista de 1929 e a ascensão do nazismo. Ao evocar o centenário desta era, Folle Époque propõe a sua revisitação contra o pano de fundo da atualidade. Convocando narrativas hipotéticas que remetem para estes dois tempos, o espetáculo constrói-se entre a “realidade-real” e a “realidade-ficção”, precipitando-se para uma catástrofe iminente.

A peça conta com conceção e direção da SillySeason – Cátia Tomé, Ivo Saraiva e Silva e Ricardo Teixeira, e as interpretações de Cátia Tomé, Ivo Saraiva e Silva, Ricardo Teixeira, Rodolfo Major, Sara Ribeiro e Teresa Coutinho.

A coprodução SillySeason, TNSJ e Centro Cultural de Belém pode ser vista na quinta e sexta-feira, às 21h00; no sábado, às 19h00; e no domingo, às 16h00.

Os bilhetes têm um custo de 10 euros e podem ser adquiridos online e no local.

A peça estará em cena no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, de 15 a 21 de janeiro de 2021 e no Centro Cultural Olido, em São Paulo, em data a anunciar.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.