Teatro Nacional São João no Porto mostra-se depois de restauro profundo e apresenta nova temporada

3-Teatro Nacional São João_créditos TNS 1Na próxima sexta-feira, dia 12 de setembro, decorre a cerimónia de “devolução” do Teatro Nacional São João à cidade do Porto, com a presença do Secretário de Estado da Cultura.

Após cinco anos entaipado e cerca de 13 meses em obras, o edifício situado na Praça da Batalha e que conta com mais de dois séculos de história, pode ser novamente apreciado em pleno.

O projeto total, que inclui também outras componentes de restauro, resulta de um investimento total de cerca de 960 mil euros e permite que a primeira construção de raiz no Porto exclusivamente destinada à apresentação de espectáculos possa ser novamente apreciada por todos.

Não existe melhor forma de festejar do que apresentando a programação até dezembro e esta nova temporada traz consigo novidades.

Entre setembro e dezembro, cinema, teatro, dança e novo circo vão partilhar os palcos do TNSJ, Teatro Carlos Alberto (TeCA) e Mosteiro São Bento da Vitória, numa programação que integra 15 espetáculos, com sete estreias. Até dia 18 de setembro, a mostra de processos MAP/P “invade” o Mosteiro de São Bento da Vitória com as performances de artistas nacionais e internacionais que têm como mote o movimento.

TNSJ 1

Da programação destaque para Luís Miguel Cintra e Cornucópia que regressam ao TNSJ naquela que será a primeira estreia da nova temporada. Entre 18 de setembro e 5 de outubro, Luis Miguel Cintra apresenta a radical solidão de Pílades, o “poeta da diferença” que quer conquistar e transformar a cidade mas acaba derrotado pelas Euménides, as novas Fúrias do consumismo e do conformismo.

Mas as novidades não ficam por aqui, a colaboração entre o TNSJ e Gonçalo Waddington traduz-se numa estreia absoluta que subirá ao palco do Teatro Calos Alberto entre 26 de setembro e 5 de outubro. Albertine, O Continente Celeste parte da obra Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, bem como os trabalhos de alguns dos mais destacados físicos teóricos e cosmólogos dos nossos dias, tais como Stephen Hawking, Lee Smolin, Sean Carroll, Carlo Rovelli e Pedro G. Ferreira. A reflexão do papel da memória e do tempo tem como protagonistas Carla Maciel e Tiago Rodrigues.

Mais uma estreia absoluta, desta feita tendo como eixo o teatro comunitário e o trabalho desenvolvido pela associação PELE ao longo de sete anos, potenciando os cidadãos como artistas. O Mosteiro de São Bento da Vitória acolhe, entre 31 de outubro e 2 de novembro, Mapa – O Jogo da Cartografia.

1-Imagens restauro_créditos TUNA_TNSJ 3 2-Imagens restauro_ créditos TUNA_TNSJ

 

Da nova programação destaque ainda para Ah, os Dias Felizes, de Samuel Beckett que regressa ao TNSJ. A produção do Teatro Nacional São João, encenada pelo diretor artístico Nuno Carinhas, está em cena entre 24 de outubro e 16 de novembro. A abordagem ao dramaturgo irlandês prossegue de 7 a 16 de novembro, com Caixa 3 Bobina 5 – A Última Bobina de Beckett, uma estreia absoluta com cocriação, texto e dramaturgia de Jorge Palinhos.

Para finalizar, dezembro é o mês em que o palco do Teatro Nacional São João acolhe uma jornada dupla do Teatro da Rainha, com espetáculos que partem da obra de Martin Crimp e com encenação de Fernando Mora Ramos, Definitivamente as Bahamas  estará em cena  de 4 a 6 de dezembro, seguindo-se, entre 11 e 13 de dezembro, O Estranho Corpo da Obra, a partir das peças Contra a Parede e Menos Emergências.

Por Teresa Leal
Fotos gentilmente cedidas pela Assessoria de Imprensa do TNSJ

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.