Teatro Municipal São Luiz Celebra 125 Anos Com Uma Programação Muito Variada

O Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, prepara-se para assinalar 125 anos, numa celebração que se estenderá por duas temporadas e implicará uma reflexão sobre o futuro.

O Teatro Municipal São Luiz (TMSl) assinala 125 anos, no dia 22 de maio de 2019, e para assinalar a data preparou uma programação muito especial , com início em abril do próximo ano e se estende até 2020, , celebrando memórias e olhando para o futuro.

A temporada arranca já em setembro de 2018, a programação, ainda mais nacional, contempla 16 estreias e a estreia de um festival de Jazz. Passarão pelo palco do TMSL 16 estreias de teatro (das quais três são encomendas do teatro municipal), 4 criações de dança, 1 festival e 7 projetos musicais.

Marca o arranque da temporada a estreia de Timão de Atenas, de Shakeaspeare, com encenação de Nuno Cardoso. Um mês depois (outubro) volta ao palco do TMSL o teatro O Bando, com Gungunhana, de Mia Couto.

Em 2019, no primeiro mês do ano, regressa a peça Do Alto da Ponte, de Arthur Miller, dos Artistas Unidos; segue-se em fevereiro a estreia de O Arranca-Corações de Boris Vian, com encenação de Nuno Nunes. Nota ainda para as estreias de Histórias em Lisboa do Teatro Meridional e Gertrude Stein, de Win Wells, da Escola de Mulheres, ambas em junho.

Destaque para o projeto teatral Ocupação, a estrear-se em abril, pelo Teatro do Vestido, de Joana Craveiro, e para uma peça de teatro de revista encomendada ao Teatro Praga, a estrear em maio.

Na programação pensada para os mais novos destaca-se em outubro a estreia da adaptação de Livros do Rei, de David Machado e Gonçalo Viana, por Raimundo Cosme; em dezembro é a vez de Patrícia Portela com Por Amor; em janeiro estreia a peça É Pró Menino e Prá Menina, de Catarina Requeijo, destinada a crianças entre os 3 e os 6 anos, e que abordará questões sobre identidade de género; Joana Craveiro apresentará Era Uma Vez Um País Assim, em abril; e Carla Galvão e Filipe Raposo retomam A Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen, em fevereiro; e O Convidador de Pirilampos, de António Jorge Gonçalves, a partir do livro que ilustrou para Ondjaki, estreia em junho.

Nota para a visita-espetáculo, durante toda a temporada, Os Sapatos do Sr. Luiz, de
Madalena Marques, que desvenda algumas das histórias do TMSL.

Na música, o São Luiz recebe a 5, 6, 15 e 16 de novembro vários concertos Misty Fest; e em fevereiro, de 18 a 24, o INART – Community Art Festival, regressa ao TMSL, sob direção artística de Ana Rita Barata e Pedro Sena Nunes; e entre 26 e 31 de março tem lugar o o primeiro Festival de Jazz de Lisboa, com um programa de concertos de músicos portugueses e estrangeiros ainda por anunciar, numa parceria com o Hot Clube de Portugal.

Anabela Mota Ribeiro e André Teodósio vão comissariar em julho uma nova edição de Estar em Casa, com uma programação ininterrupta de música, teatro, cinema, oficinas e conversas em vários espaços do teatro.

Agendados estão ainda concertos, oficinas, conversas e performances.

Os bilhetes para a nova temporada já estão à venda.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.