Teatro Municipal Joaquim Benite apresentou temporada

tmjb_2014O Teatro Municipal Joaquim Benite apresentou, recentemente, a temporada de 2014. Focada sobretudo na dramaturgia, a programação inclui quatro peças com produção da Companhia de Teatro de Almada. A primeira delas é o Tartufo de Molière que, com encenação de Rogério de Carvalho, sobe ao palco entre 7 e 30 de Março. Cais Oeste, de Bernard-Marie Koltés segue-se-lhe, de 11 de outubro a 2 de novembro. Encenada por Ivica Buljan, a peça faz parte do capaz do Festival Internacional de Teatro de Almada, que decorre em julho. O quarteto da CTA conta ainda com O Mandarim, peça de Eça de Queiroz. A pensar nos mais novos, o espetáculo tem dramaturgia e encenação de Teresa Gafeira, estando em cena de 7 a 23 de novembro. A lista encerra com Kilimanjaro, peça baseada na obra de Hemingway, com encenação de Rodrigo Francisco, que estará em cartaz entre 5 e 14 de dezembro.

Mas nem só da prata da casa vive a temporada do Teatro Joaquim Benite. Previstas estão também mais de duas dezenas de produções a cargo de outras companhias nacionais. É o caso da Companhia de Teatro de Braga, que leva até Almada Um Picasso, de Jefrey Hatcher, a 1 de junho e Os Desaparecidos, espetáculo criado em parceria com os alemães O-Team e inspirado em Amerika de Franz Kafka. Esta pela estará em cena em 29 de novembro.

Já o Teatro Nacional de São João traz do Porto três peças. São elas Turismo Infinito, com base em textos de Fernando Pessoa – entre 5 e 10 de abril – e Almada nada, que busca inspiração na obra de Almada Negreiros e poderá ser vista de 10 a 13 do mesmo mês. Da Invicta chega ainda Diz-lhes que não falarei nem que me matem, em cena em 25 e 26 de abril.

Lisboa é representada pelo Teatro do Bairro com Depois da Revolução. Produzida por Luísa Costa Gomes e Luís Bragança Gil, a peça centra-se no 25 de abril de 1974 e sobe ao palco em 26 e 27 de abril.

Espanha também se faz representar com La Colpa Negra, espetáculo do Chirigóticas Teatro, de Cádis. Música, drama e comédia misturam-se nesta peça com dramaturgia e encenação de António Álamo, em cartaz entre 31 de janeiro e 1 de fevereiro.

A música terá também um lugar de destaque em 2014 no teatro almadense. Camané é o artista convidado em 14 de fevereiro, seguindo-se-lhe A Naifa, em 19 de abril. Em 3 de maio chega a vez da Orquestra Sinfónica Portuguesa. Mafalda Arnauth atua em 4 de outubro, a Orquestra Jorge Costa Pinto em 15 de novembro e em 20 de dezembro a Orquestra de Câmara Portuguesa.

No que respeita à dança, o TMJB convida a cinco espetáculos. São eles Terra, da Companhia Olga Roriz em 13 de setembro; Todo para sempre É agora, da Companhia de Dança de Almada em 3 de outubro e O Quebra-Nozes, pelo Russian Classical Ballet, em 27 e 28 de dezembro.

As artes plásticas marcam presença em diversas exposições, entre as quais Doc, de Jorge Leal, patente até 23 de março. Desenho, da autoria de Cecília Costa, segue-se entre 29 de março e 8 de junho. Manuel João Vieira faz-se representar com Transfigurações, de 5 de julho a 5 de outubro. No Vazio da Onda, de Inez Teixeira, é a última mostra do ano, podendo ser vista entre 11 de outubro e 30 de dezembro.

Texto de Alexandra Gil

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.