Teatro Do Elétrico Apresenta A Voz Humana Na Bienal Internacional De Poesia De Oeiras

O espetáculo A Voz Humana, de Jean Cocteau, uma criação de Patrícia Andrade e David Pereira Bastos, está inserido na Bienal Internacional de Poesia de Oeiras atualmente a decorrer e será apresentado no próximo sábado, dia 20 de novembro, às 21h00, no Edifício Atrium – Bienal de Poesia, em Oeiras. A entrada é gratuita mediante reserva.

É um espetáculo de teatro e um concerto de rock, que desequilibra o emblemático texto de Jean Cocteau. Uma atriz, um microfone, um tripé e uma guitarra. Um monólogo em que uma mulher fala ao telefone com o seu amante, que nunca ouvimos. No dia seguinte, ele irá casar-se com outra mulher. A chamada cai algumas vezes e a conversa é interrompida nos momentos de maior vertigem. No que é uma aparente banalidade doméstica, testemunhamos um verdadeiro “mise en abîme” desta mulher abandonada pelo seu companheiro. A voz canta simultaneamente o inconformismo e a resignação, a revolta, o desespero e a fragilidade, num grito abafado de uma pessoa que luta para não se afogar.

As reservas para assistir ao espetáculo podem ser feitas aqui.

A 1ª Edição da Bienal Internacional de Poesia decorre até 21 de novembro, subordinada ao tema “Poder e Democracia”. O evento, inserido na candidatura de Oeiras a Capital Europeia da Cultura 2027, decorre em alguns dos locais mais icónicos da cidade

Simone de Oliveira, Miguel Araújo, Samuel Úria, Capicua, Sérgio Godinho, Frederico Lourenço, António Zambujo e Tom Konyves são apenas alguns dos nomes das personalidades que integram a programação, um total de mais de 100 convidados, oriundos de três continentes.

Assim, o Templo da Poesia acolheu a sessão inaugural, no dia 16 de novembro, com António Carlos Secchin (por videoconferência), Filipe Leal, João Bonifácio Serra e Jorge Barreto Xavier.

No dia 17 de novembro, nota para a Masterclass «Wis?awa Szymborska: Fim e começo», com Michal Rusinek e a Conversa-concerto com Simone de Oliveira, no Templo da Poesia. O Edifício Atrium acolhe Upside Down Poetry «Cada Som Como um Grito»

No dia 18, pelas 19h00, o Workshop «Na Intimidade do Poema», com Sonia Barba, diretora e madame do Poetry Brothel em Barcelona, Madrid e Valencia e, pelas 21h00, a Masterclass «A Poesia Como Instrumento de Relação», com Jorge Valdés Díaz-Vélez. Às 22h00, o Templo da Poesia acolhe a conversa-concerto com Miguel Araújo.

No dia 19 de novembro, está agendada Revoluções Poéticas «A Poesia ao Poder», com Nina Rizzi e Conversa-concerto com Samuel Úria, no Templo da Poesia. Já o Nirvana Studios é o palco de “The Poetry Brothel”.

Sábado e domingo, dias 20 e 21 de novembro, estão agendadas conversas/debates; lançamento de livros, espetáculos e outras iniciativas, com destaque para a conversa-concerto com António Zambujo, a fechar esta edição.

O Festival conta ainda com exposições e vendas de livros.

A entrada nas sessões é gratuita, mediante reserva de bilhete.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.