Teatro Do Bairro Apresenta Terror E Miséria No Terceiro Reich De Bertolt Brecht

Terror e Miséria no Terceiro Reich, de Bertolt Brecht, é a peça que o Teatro do Bairro, e Lisboa, vai apresentar entre 20 de março e 14 de abril de 2019.

A peça foi escrita por Bertolt Brecht, entre 1935 e 1938, a partir de relatos de testemunhas oculares e notícias de jornais quando o autor se encontrava no exílio na Dinamarca, retrata a sociedade alemã sob o regime nazi e revela a desagregação mental do Alemão comum, dividido entre lealdades e medos e incapaz de decidir entre o que é correto e o que é seguro.
É um espetáculo impregnado de ironia e comédia. A afirmação cénica do texto de tragédia e miséria de Brecht permite uma real exposição do indivíduo patético, crente e convicto de que aquilo que subscreve é o melhor para si e para o mundo e dá-nos uma imagem tragicómica de como situações simples se tornam um emaranhado de riscos e consequências, quando todas as respostas têm de ser ponderadas e nunca se sabe exatamente o que deve ser dito, ou de que modo o dizer.
Composta por 15 cenas independentes, aparentemente desconexas, a peça encontra a sua unidade no título, uma vez que cada uma das cenas curtas reflecte uma faceta do nazismo. Trata-se de uma sucessão de retratos que ilustram que o nazismo não era exercido apenas por congeminadores, demónios e monstros, mas por gente que facilmente nos venderia um café, nos prestaria um serviço, nos daria aulas e nos seria igual enquanto cidadão comum. São cenas da vida quotidiana da Alemanha nazi, de julgamentos, da vida de trabalhadores socialistas e comunidades judaicas e da vida escolar da juventude hitleriana onde se percebe, em cada diálogo, o medo de uma sociedade sufocada pelo nazismo de Hitler.
Mais do que retratar uma década mergulhada em equívocos, Brecht mostra-nos a decadência de toda uma sociedade, sufocada pelo terror e cuja propaganda foi fundamental para a ascensão e manutenção do regime totalitário, levando-nos a identificar na atualidade a existência de situações semelhantes às de tão má memória.

Com encenação de António Pires e tradução de Fiama Hasse Pais Brandão, a peça conta com as interpretações de Adriano Luz, Inês Castel-Branco, Carolina Serrão, Francisco Vistas, Jaime Baeta, João Barbosa, João Maria, Mário Sousa, Rafael Fonseca, Sandra Santos, e ainda com as crianças Manuel Encarnação e Tomás Andrade. É uma produção Ar de Filmes e Teatro do Bairro.

A peça está classificada para maiores de 12 anos e pode ser vista de quarta a sábado, às 21h30, e no domingo às 17h00.

Os bilhetes estão à venda online e no local. O bilhete normal custa 12 euros; 7 euros (menores de 25 anos, maiores de 65 anos e profissionais do espetáculo); e 5 euros (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.