Sugestões Para O Dia Da Mãe

Domingo, dia 3 de maio celebra-se o Dia da Mãe, com todos nós a viver em circunstâncias especiais, e em confinamento, mesmo assim, não quisemos deixar passar a data em branco e deixamos aqui algumas sugestões de presentes.

Para as mães que gostam de ler deixamos quatro sugestões de livros publicados recentemente. Da Editora Topseller, o romance histórico O Vestido, da autoria  de Jennifer Robson. O romance, de 384 páginas, está à venda por 18,79 euros.

Londres, 1947: A Segunda Guerra Mundial terminou há dois anos e Inglaterra está do lado dos vencedores, mas o país passa por duras adversidades. Quando o Palácio de Buckingham anuncia o noivado da princesa Isabel com o tenente Philip Mountbatten, a nação ganha um novo ânimo. Para Ann Hughes e Miriam Dassin, bordadeiras numa famosa casa de moda, o casamento real é mais do que uma celebração. É uma honra única nas suas vidas, pois foram escolhidas para criar os intrincados bordados que adornarão o vestido da princesa.

Toronto, 2016: Mais de meio século depois, Heather Mackenzie encontra entre os bens herdados da avó um conjunto de flores bordadas à mão, que se assemelham muito aos motivos do deslumbrante vestido de noiva usado pela, agora, rainha Isabel II, e uma fotografia da avó com Miriam Dassin, uma célebre artista têxtil que sobreviveu ao Holocausto. Ansiando por saber mais sobre o passado da avó e os misteriosos bordados, Heather inicia uma viagem que lhe revelará muito mais do que esperava.

Do escritor espanhol Fernando J. Múñez, A Cozinheira de Castamar, uma edição da Porto Editora. O romance, de 616 páginas, está à venda por 22 euros.

Corre o ano de 1720 e o palácio ducal de Castamar, nos arredores de Madrid, é um espelho da sociedade espanhola. Nos andares superiores, sumptuosos bailes e festas ocupam a vida da fina flor da capital. Nos cantos sombrios dos enormes salões, esconde-se a intriga política, os jogos de poder que alternam golpes de espada e golpes de alcova. Mas é na face menos visível do palácio, nos seus bastidores, que corre o sangue que anima e torna possível a roda viva da nobreza.
Clara Belmonte é uma jovem de uma família abastada que, após a morte do patriarca, um dos mais prestigiados médicos de Madrid, se vê cair na mais completa pobreza.
Apesar da educação primorosa que recebeu, Clara precisa de uma forma de sustento e acaba por se candidatar a um trabalho nas cozinhas do palácio ducal de Castamar, que conquista graças ao talento para a culinária que herdou da mãe.
Clara não é bem recebida nos primeiros tempos. A sua eloquência, bem como o rigor na limpeza das cozinhas e a ousadia no requinte dos pratos, depressa a elevam na atenção dos habitantes da casa e no ciúme dos colegas de trabalho.
O seu talento para a culinária, herdado da mãe, vai destacá-la junto de Dom Diego, o enigmático duque de Castamar, e também colocá-la no centro dos ciúmes e da atenção dos trabalhadores da casa. E essa atenção vai ajudar a jovem cozinheira a derrubar barreiras e a entrar num mundo que lhe fora vedado. , A jovem cozinheira fá-lo derrubar todas as barreiras, despertando-lhe o palato, o intelecto e, por fim, o coração.
Os direitos de adaptação deste romance histórico ao pequeno ecrã foram já adquiridos pela Atresmedia.

Das Publicações D. Quixote, Rua de Paris em Dia de Chuva, da autoria de Isabel Rio Novo. O romance, de 232 páginas, está à venda por 15,90 euros.

Na capital francesa, vivem-se tempos de profundas transformações, com a abertura dos grandes bulevares e o despertar de uma nova corrente artística, o Impressionismo, que irá alterar o olhar dos indivíduos sobre a arte e o mundo. Mas que história de amor à distância poderão experimentar o protagonista deste romance – um diletante chamado Gustave Caillebotte, amigo e mecenas de pintores como Monet e Renoir e, afinal, ele próprio um artista de primeira linha – e a sua Autora, que há anos persegue a história deste milionário triste e decide agora escrever sobre ela? E que papel desempenha nessa relação a enigmática Helena, uma professora de história da arte que parece saber tudo sobre Caillebotte?

 

E por fim, A Última Carta, de Cecelia Ahern, da chancela Suma de Letras. A sequela de P.S. Eu Amo-te. O livro, de 316 páginas, está à venda por 18,80 euros.

Faz sete anos que o marido de Holly Kennedy morreu – seis, desde que ela leu a sua última carta, na qual lhe pedia que encontrasse coragem para forjar uma nova vida.
Holly orgulha-se da forma como tem evoluído e crescido. Até que recebe a mensagem: “Precisamos desesperadamente da sua ajuda, Holly. Estamos a ficar sem ideias e … ” – ela respira fundo, em busca de

energia – “todos nós estamos a ficar sem tempo.”
Os membros do Clube P. S. Eu amo-te, inspirados nas últimas cartas do seu marido, Gerry, querem que Holly os ajude a escrever as suas próprias mensagens de despedida para os que lhes são queridos.
Holly vê-se atraída, de novo, para um mundo que se esforçou tanto por deixar para trás. Relutante, começa a relacionar-se com o clube, mesmo quando a amizade deles ameaça destruir a paz que ela acredita ter alcançado.
Porque cada uma dessas pessoas espera de Holly a ajuda para deixar algo significativo àqueles que mais ama, ela embarcará numa jornada notável que a desafiará a questionar se abraçar o futuro implicar trair o passado e o que significa amar alguém para sempre …notável – que a desafiará a perguntar se abraçar o futuro significa trair o passado e o que significa amar alguém para sempre …

Para as mães fãs de relógios, um relógio muito especial, para uma super heroína. Da Swatch, a edição especial e limitada #IAmWonderMom.
Porque as mães «sabem tornar o impossível em possível todos os dias, e têm um especial orgulho nisso», a marca de relógios apresenta uma edição «com um design que traz à memória o universo dos super-heróis, evidencia uma chamativa e ousada cor vermelha, e lembra todos os méritos que as mães merecem. A palavra “WONDERMOM” surge em destaque e em letras maiúsculas no mostrador»

Esta Edição Especial e Limitada do Dia da Mãe está disponível, na loja online, com um preço de 80 euros.

Da One, o relógio My Mummy And I, uma proposta elegante para oferecer nesta data especial.
O relógio com bracelete de aço-malha milanesa prateada e caixa no mesmo tom, tem um mostrador em madrepérola e com pérolas a substituir os numerais e completa-se com dois pendentes, um em madrepérola em forma de coração e outro em forma de pérola.
O relógio custa 90 euros, e está disponível na página da One.

E para terminar, uma sugestão ligeiramente diferente. Da Vista Alegre, a escultura Ternura, em biscuit, à venda nas lojas da marca online por 148 euros. Uma peça intemporal e apropriada para todas as mães, minuciosamente esculpida, e rica em pormenores, com 183 mm de altura e 67 mm de largura e que pode passar de geração em geração, sem nunca perder a sua beleza e o seu valor.

Feliz Dia da Mãe para todas!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.