Shadowland, o espetáculo das silhuetas que dançam

Pilobolus_Shadowland_SaraSantos-17

Reportagem de Tânia Fernandes (texto) e Sara Santos (fotografia)
 
Os mesmos corpos que criam imagens durante todo o espetáculo são utilizados, no final, para construir, letra a letra, a mensagem que querem deixar “OBRIGADO LISBOA”. Pilobolus, a companhia de dança que recorre ao corpo dos bailarinos para desenhar formas em palco, traz a Lisboa o espetáculo Shadowland, em que exploram as sombras chinesas. A história do sonho perturbado de uma menina estreou ontem no Centro Cultural de Belém e pode ser vista até ao próximo domingo.

 

Mais do que dança, este é um espetáculo de silhuetas e da feliz combinação acrobática de bailarinos. As sombras dos intervenientes, projetadas na tela, iludem-nos constantemente, criando imagens fantásticas como uma menina a ser transformada num cão, por uma mão gigantesca, uma medusa e um cavalo marinho a nadar ou uma viagem de carro. E percebe-se que não há montagem digital pelo meio, pois assistimos à construção da imagem e à sua rápida dissolução. Com a vontade de dizer: podem, por favor, repetir mas um bocadinho mais devagar? É que apesar de se identificar umas mãos aqui e umas pernas ali, torna-se difícil desmontar o puzzle humano. A história é de um sonho agitado. Uma espécie de Alice no País das Maravilhas a pular de ambiente em ambiente, permitindo um devaneio por cenários imaginários, que vão desde um circo/ cabaret, ao fundo do mar, passando pelo Jardim do Éden.

 

A homenagem a Lisboa chega no final do espetáculo e percebe-se que atinge a plateia em cheio, pois é nesse momento que as pessoas se manifestam com entusiasmo. Ao som de “Voodoo Love”, o tema dos Buraka Som Sistema, a companhia entra em território alfacinha. A Torre de Belém, a Ponte sobre o Tejo e o Cristo Rei aparecem no cenário de fundo e os bailarinos recriam o Padrão dos Descobrimentos e uma Guitarra Portuguesa. Nesta altura já todos se levantaram para aplaudir de pé. Ensaiado durante a curta estadia no pais, o final deste espetáculo faz a ponte entre Nova Iorque, destino de origem de Pilobolus e a cidade onde atuam.

 

This slideshow requires JavaScript.

Shadowland pode ser visto no CCB até ao dia 18 de maio. De 14 a 17 de maio às 21h00. Dias 17 e 18 às 16h00. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais e custam entre 12,50 e 35 euros.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.