Scott Matthew na Casa da Música: um serão entre amigos

Reportagem de Sandra Mesquita (texto) e Catarina Costa (fotos)

scott_mathew4Depois de Coimbra, foi a vez da cidade do Porto receber o australiano Scott Matthew, em mais um concerto inserido na quarta edição do Misty Fest, que percorre o país até 23 de novembro.

A noite estava fria e convidava a ficar em casa, mas na acolhedora sala da Casa da Música eram muitos os fãs que esperavam para ouvir ao vivo a voz invulgar de Scott Matthew, que regressa ao país que conhece bem, depois de já ter cá estado a convite de Rodrigo Leão.

Foi ao som de “To Love Somebody”, um original dos Bee Gees, que o australiano subiu ao palco. “Vamos tocar alguns originais e uns covers e veremos como corre”, disse Scott Matthew no início da noite. E a verdade é que o resultado não poderia ter sido melhor. Para além de temas como “For Dick” e “In The End”, fizeram parte do alinhamento êxitos bem conhecidos como “Dance With Somebody”, “Harvest Moon” e “L.O.V.E”, cantados também em coro pela plateia.

Numa espécie de regresso ao passado, nos “tempos em que era mais revoltado do que agora”, o músico, que já pertenceu a uma banda punk, interpretou “Anarchy in the UK”, seguindo-se “Abandoned” e uma versão de “Love Will Tear Us apart”, dos Joy Division.

This slideshow requires JavaScript.

As quase duas horas de concerto foram como um serão bem passado entre amigos, onde não faltaram as conversas e as gargalhadas num ambiente intimista e de grande cumplicidade entre o palco e a plateia. “No final ainda podemos ir tomar uns copos juntos”, disse o cantor australiano.

Apesar da boa disposição do músico, capaz de contagiar qualquer plateia, a noite foi de canções tristes como previu Valter Lobo. O português ocupou o palco antes de Scott Matthew na companhia de Jorge Moura para apresentar “as canções mais tristes deste Inverno”. “Eu Não Tenho Quem me Abrace Neste Inverno” e “Pensei que Fosse Fácil”, são alguns temas do EP que promete ser a banda sonora perfeita para um serão passado em frente à lareira.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.