Saramago: Vinte Anos De Prémio Nobel

Assinalam-se este mês vinte anos de atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago. Neste âmbito, Porto Editora lança o Último Caderno de Lanzarote, diário inédito de 1998. A editora lança ainda o livro Um País Levantado em Alegria, de Ricardo Viel, que relata detalhes e surpresas à volta do dia 8 de outubro de 1998.

Os livros, lançados na abertura do Congresso Internacional José Saramago: Vinte Anos com o Prémio Nobel, que se realizou no Convento de São Francisco, em Coimbra, de 8 a 10 de outubro, tem sessão de apresentação em Lisboa hoje, dia 12 de outubro, pelas 18h00, na Biblioteca Nacional de Portugal, onde inaugura também uma exposição dedicada a esta efeméride, com curadoria de Ricardo Viel.

Para comemorar os 20 anos da atribuição do Nobel a Saramago, a Porto Editora criou ainda uma página online – com curiosidades, mensagens e reações de vários amigos e personalidades a essa grande notícia. É ainda possível consultar informação sobre toda a obra do autor, que a partir do próximo mês estará na sua totalidade editada pela Porto Editora e disponível nas livrarias.

Último Caderno de Lanzarote

Duas razões me levaram, mais ou menos conscientemente, a escrever um diário: em primeiro lugar, a circunstância de ter saído do meu país para viver nesta ilha distante; em segundo lugar, a necessidade, que nunca experimentara antes, de “reter” o tempo, de o obrigar, por assim dizer, a deixar o maior número possível de sinais da sua passagem. Cadernos de Lanzarote é como uma longa carta enviada àqueles que ficaram no outro lado, mas é também um modo (vão, inútil, quem sabe mesmo se desesperado…) de fingir prolongar a vida por uma obstinada “escrituração” dos dias.
Os Cadernos não são um laboratório, embora não faltem neles reflexões sobre o “fazer” literário; não são um registo dos casos do mundo, embora abundem os comentários sobre a atualidade; não são uma coleção de dados para uma futura biografia, embora vão dizendo o que faço e o que penso.

Como todo o diário (como toda a escrita), os Cadernos de Lanzarote são um exercício  narcisista, mas, contra o que geralmente se crê, Narciso nem sempre gosta do que vê no espelho em que se contempla…

O livro tem 272 páginas e custa 17,70 euros.

Um País Levantado em Alegria

Um país levantado em alegria refaz o caminho da notícia do primeiro Prémio Nobel para a literatura em língua portuguesa, revelando episódios desconhecidos, dando a conhecer mensagens recebidas por José Saramago e celebrando, vinte anos depois, um prémio que foi vivido intensamente no mundo inteiro.

O livro tem 180 páginas e custa 15,50 euros.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.