São Carlos Apresenta As Óperas Pagliacci E Der Zwerg Num Único Espetáculo

O Teatro Nacional de São Carlos estreia amanhã as óperas Pagliacci de Ruggero Leoncavallo e Der Zwerg de Alexander von Zemlinsky numa única produção, com encenação de Rodula Gaitanou e Nicola Raab, respetivamente, cenografia de José Capela e figurinos de Mariana Sá Nogueira.

Com a conjugação destes dois títulos líricos, Patrick Dickie propõe-nos o primeiro de uma série de três espetáculos que apresentam duas óperas cada e que serão estreados até 2019. “Serão novas produções com uma componente visual forte, músicas extraordinariamente bonitas, espetáculos singulares que, no final, permitirão uma outra leitura de conjunto”, explica o TNSC em comunicado.

Trinta anos exatos separam o verismo de Pagliacci (1892) do expressionismo de Der Zwerg (1922). Se Leoncavallo, também ele um homem de letras, escreveu o libreto para Pagliacci inspirado num incidente da sua infância, é provável que o desfecho dramático da relação de Zemlinsky com Alma Schindler – futura sra. Mahler – tenha encontrado um paralelo irónico num conto de Óscar Wilde e inspirado o compositor para o libreto da sua ópera Der Zwerg onde uma infanta ludibria um anão, fazendo-o acreditar no seu amor apesar da aparência física. Tal como em Der Zwerg a infanta Donna Clara se cansa do seu brinquedo vivo de triste figura, também Nedda, em Pagliacci, repele o palhaço Canio, preterindo-o por Sílvio. E assim os dois homens descobrem a dolorosa recusa do amor que só a morte conseguirá resgatar.

A produção conta com Direção Musical de Martin André, Coro Juvenil de Lisboa, conduzido pelo Maestro Nuno Margarido Lopes, o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, conduzido pelo Maestro Giovanni Andreoli e com a Orquestra Sinfónica Portuguesa sob a batuta da Maestrina Joana Carneiro, e interpretações de grandes nomes como Carlos Guilherme no papel de Peppe, Peter Auty – Canio, Norah Amsellem – Nedda, Igor Gnidii – Tonio, Thomas Lehman – Silvio, Peter Bronder – O Anão, Sarah-Jane Brandon – Donna Clara, Dora Rodrigues – Ghita, Nuno Pereira – Don Estoban, Carla Caramujo – Primeira Criada, entre outros.

A produção estará em exibição nos dias 31 de março, 4, 6 e 8 de abril, pelas 20h00 e no dia 2 de abril, pelas 16h00. Os bilhetes custam entre 20 e 60 euros e estão à venda no local e online.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.