Saladas Que Combinam Com Temperaturas Elevadas no Can the Can

Can the Can
Can the Can

Pode o conteúdo de uma lata de conservas dar origem a um prato absolutamente delicioso, equilibrado em sabor, capaz de surpreender e ainda ter excelente apresentação? Pode. Mas se calhar nem todos o conseguem. O restaurante Can the Can, no Terreiro do Paço, tem-se destacado no trabalho que tem feito com base em conservas.

E se ainda tem dúvidas arrisque a salada quente e fria de filetes de sardinha acompanhada com iogurte grego, cominhos e hortelã, cenouras, brócolos e aboborinha assinada pelo chefe Akis Konstantinidis. Este é o mais recente prato a constar na ementa do Can the Can, criado no âmbito da iniciativa The Best I Can. Tem por base as conservas Ramirez e dá destaque à rainha das festas da cidade, a sardinha.

O projeto The Best I Can é uma iniciativa do restaurante Can the Can e da ANICP, a Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe e tem como objetivo promover a utilização de conservas nacionais, de forma inovadora e a realçar ao máximo o que este produto tem para oferecer. Para esta iniciativa, todos os meses o Chefe Akis Konstantinidis desenvolve um novo prato elaborado com produtos de uma das empresas de conservas associadas da ANICP.

Can the Can
Rui Pregal da Cunha

Jantar em pleno Terreiro do Paço, uma das mais majestosas praças da cidade é já um grande privilégio. No Can the Can, o prazer estende-se à proximidade com a música portuguesa, ou não fosse Rui Pregal da Cunha (ex-Heróis do Mar) um dos sócios da casa. O restaurante abre regularmente espaço à atuação de músicos que divulguem a música portuguesa na sua mais ampla conceção. Rui Pregal da Cunha falou-nos do Laboratório do Fado, uma vertente que traz ao Can de Can o Fado na sua abordagem mais contemporânea. “Já aqui tivemos músicos americanos que faziam fado!”

Partilhámos mesa com o músico mas também com Rita Red Shoes, a cantora e compositora que se juntou à promoção desta iniciativa. Recentemente, participaram no The Best I(n) Can Mariza Liz e o Tiago Pais Dias dos Amor Electro no mês da Belamar, o artista Miguel Ângelo no mês da Poveira ou Paulo Furtado aka Lengendary Tigerman no mês da Pinhais.

Oportunidade ainda para provar entradas da carta como Rolinhos de Courgete com petingas picantes, Muxama de Atúm (laranja, redução de citrinos, amêndoa torrada, brotos), Salada de barriga de atum (beterraba, raiz de aipo, maçã verde, molho iogurte e aneto, nozes). As Chamuças de Atum (coulis de manga e mostarda em grão) levaram-nos a voltar a encher o copo de vinho e os Croquetes de Polvo (mostarda, maionese preta especial Can the Can, mel) convenceram-nos a voltar assim que a agenda o permitir!

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

Para além da Salada quente e fria de sardinha da proposta The Best I(n) Can veio para a mesa a Salada de morango (agrião baby, atum e presunto estaladiço) cuja combinação de sabores, para a época, nos merece todo o respeito. O Chefe Akis Konstantinidis falou-nos da forma como tenta aliar alimentos tradicionais com outras combinações menos utilizadas na cozinha portuguesa, mas que agradam no prato. “As pessoas adoram beringela” contou-nos, admitindo que é um alimento ao qual pouco se recorre em Portugal. A surpresa faz sempre parte do resultado final.

Pela mesa passaram ainda episódios caricatos de palco noutros tempos e as novidades do meio musical. Rita Red Shoes aventurou-se pelo mundo das letras com a edição, em maio, de “Sonhos de uma rapariga quase normal”. Uma espécie de livro de contos, com quarenta sonhos, ilustrados também por si. O livro inclui ainda uma banda sonora, com sete temas musicais para dormir e sonhar.

Cada vez mais próximo dos tachos e distante dos palcos, Rui Pregal da Cunha tem levado o Can the Can para fora de portas. Recentemente estiveram na Volvo Ocean Race com um grande espaço na zona de restauração e entre 9 a 19 de julho vão marcar presença no evento Tascas no Cais do Sodré.

O Can the Can serve refeições sem grandes restrições de horário ou como os próprios anunciam: “está sempre aberto”. De segunda-feira a domingo, das 9h00 às 24h00.

Reportagem de António Silva e Tânia Fernandes

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.