Ruínas Do Convento Do Carmo Acolhe MACBETHS

Até dia 18 de agosto é possível assistir nas Ruínas do Convento do Carmo a MACBETHS, um espetáculo original com dramaturgia de Luísa Costa Gomes, a partir de textos de William Shakespeare.

Para escrever MACBETHS, Luísa Costa Gomes reuniu textos de Ricardo II, Rei João, Macbeth, Dois Cavaleiros de Verona, Júlio César, Otelo, Como Queiram, Hamlet, Cimbelino, Henrique V, Henrique VI, e O Mercador de Veneza.

MACBETHS não é Macbeth, embora também o seja. É uma peça-em-peças, construída com excertos de outros textos de Shakespeare, nomeadamente deRicardo II, Otelo, Hamlet, Rei João, Como Queiram, Henrique V, e um ou outro soneto. Em MACBETHS, o protagonista é o casal e a dinâmica de poder que geram uma superstição estúpida e uma perversa aliança amorosa. A história segue sobretudo o percurso desconhecido de Lady Macbeth – esse poço de equívocos e ineficácia – na sua vertigem para a salvação e a reposição da ordem. A peça constrói-se em três momentos: primeiro, o sonho do poder, plantado em ambos pela superstição de um destino superior; segue-se naturalmente o tédio e o pesadelo do poder, depois do assassinato do Rei Duncan, que leva Lady Macbeth ao remorso, Macbeth à orgia homicida – e o Casal à separação de facto. Enquanto Macbeth destrói, a Senhora procura minimizar os danos. O que acontece nos bastidores de Macbeth, quando Lady Macbeth desaparece do palco, é a matéria última do espectáculo.

Porquê e para quê remexer em textos perfeitos? Para quê estragar o que é tão belo e tão verdadeiro? Talvez não passe, também este tipo de respeitosa e amorosa paródia, de um vão exercício de poder. Mas Macbeth, sendo uma tragédia perfeita, um texto que não esmorece, que não perde vitalidade, que continua a convocar-nos, gera muitas leituras. Impôs-se-me outra leitura de Lady Macbeth, para além da mulher que é serpente tentadora, da figura diabólica de mulher que manipula, força e depois abandona o cúmplice e se abandona ela própria à loucura. Quem é ela? Quais os seus motivos, o motivo do seu desmaio, que amor desvairado é o seu, que suposta loucura…para além da harpia, da bruxa má, da mãe castradora, andei à procura dela e o que encontrei…foi outra pessoa

O espetáculo, original, conta com encenação de António Pires, e interpretações de Margarida Vila-Nova, Cláudio da Silva, João Cabral e os alunos finalistas da ACT – Escola de Actores: Andreia Galamba, Beatriz Andrez, Catarina Berkemeier, Clarisse Ricardo, Constança Brandling, David Medeiros, Filipe de Castro, Francisco Beatriz, Margarida Leão, Mariana de Almeida Fernandes, Ruben Brandão, Salvador Nery, Vanessa Varela. Destaque ainda para os figurinos da autoria de Dino Alves.

MACBETHS conta com produção da Ar de Filmes / Teatro do Bairro e pode ser visto até 18 de agosto, de segunda a sábado, às 21h30.

Os bilhetes estão à venda no local, online e outros pontos de venda habituais e custam 16 euros (o bilhete normal, havendo ainda descontos).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.