Rui Veloso Foi A Estrela Do Belém Art Fest 2017

Reportagem de António Silva, Elsa Furtado e Tânia Fernandes

Ao segundo dia do Belém Art Fest, Rui Veloso  e Dead Combo foram as estrelas do Festival e da noite, numa noite em que as pessoas aproveitaram para assistir concertos em espaços onde estes naturalmente não acontecem.

O Claustro do Mosteiro dos Jerónimos, encheu-se de público, que não quis deixar de faltar a este concerto do músico português. Um ambiente especial, apesar do frio que se fazia sentir, mas que deu tréguas para ouvir e cantar alguns dos temas mais emblemáticos de Rui Veloso, como: “Chico Fininho”, “Não Há Estrelas No Céu”, “Fado do Ladrão Enamorado”, “Paixão”, “Jura”, “Os Velhos No Jardim”, “Sei de Uma Camponesa”, “Porto Covo”, “Serra do Pilar”, “Primeiro Beijo”, entre outras.

A acompanhá-lo neste concerto acústico, Rui Veloso contou mais uma vez com Zé Nabo, João Banaia, e João Ferreira na percussão, para além das 3 vozes que o têm acompanhado ultimamente.

Num concerto, em que o músico esteve sempre muito bem disposto e a brincar com o público, o encerramento foi com chave de ouro e com direito a ovação de pé e um calorzinho na alma.

Sem dúvida alguma foi ele a grande estrela desta edição do Belém Art Fest.

Do outro lado de Belém, também os Dead Combo conseguiram reunir uma plateia considerável. Um cenário pouco habitual, que trouxe admiradores, mas também curiosos que aceitaram o convite de visitar uns jardins que nem sempre estão acessíveis. Antes, o Museu da Presidência da República encheu-se para se ouvir cantar o fado pela voz de Maura.

Menor afluência, mas não menos entusiasmo tiveram outros protagonistas da noite. O Claustro do Mosteiro dos Jerónimos embalou-se com a voz melodiosa de Heart & Bones, enquanto ao lado, no Museu Nacional de Arqueologia, assistia-se a uma estreia absoluta em Portugal. Meadows atuou, pela primeira vez no nosso país e revelou que, apesar de estar há muito pouco tempo em Lisboa, estava a gostar muito. Em especial do preço da cerveja! Em modo acústico, o músico sueco trouxe a sonoridade folk a esta sala de Belém.

Mais tarde, no mesmo espaço, os Três por Cento fizeram uma festa quase para os amigos, onde a música pop se fez ouvir. No Picadeiro Real, entre os centenários coches, tocaram os Terraza.

Esta dupla formou-se em 2012, como partilharam os próprios com o público, em Beja. Um encontro improvável, uma vez que ele é da zona de Sintra e ela é do Porto. O certo é que a combinação têm resultado na criação de um repertório que vêm apresentando há cinco anos.

A noite do Belém Art Fest terminou no Museu Coleção Berardo com a atuação de Djs. Antes, o empurrão para a música eletrónica foi dada pela sonoridade psicadélica dos Octa Push.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.