Rota Das Oliveiras Em Monsaraz

oliveiras_01Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Foram classificadas sete oliveiras milenares no espaço envolvente do Hotel Horta da Moura em Monsaraz. Do conjunto de oliveiras existentes na região, alguns exemplares foram agora certificados por uma equipa de técnicos da Universidade de Trás-os- Montes e Alto Douro (UTAD) permitindo-nos identificar, com alguma exatidão (a margem de erro é de 2%) a sua idade. Convivem, neste espaço, exemplares que se cruzaram com povos árabes e visigodos com outros “muito mais jovens”, que assistiram ao nascimento da nação e viram passar espadas na conquista do território. Foi marcado um trilho em torno das oliveiras classificadas, permitindo-nos apreciar a sua beleza e ao mesmo tempo saber mais sobre cada exemplar. O ambiente é tranquilo e a paisagem assemelha-se a uma galeria de arte natural a céu aberto. Troncos que se contorcem, ramos que rompem na direção do sol, numa espécie de movimento latente. Como se este fosse um espaço de dança à qual acedemos num único instante. Só que esta dança começou há 2450 anos, data da mais antiga oliveira classificada.

“Foi um processo difícil e também dispendioso” refere Ricardo Raposo, Relações Públicas do Hotel Horta da Moura. “É que as oliveiras, perdem normalmente o núcleo aos 150 anos de idade, impedindo a contagem dos anéis que são a forma mais simples de calcular a idade de uma árvore. Elas abrem e às vezes até parece que são duas ou três árvores, mas a raiz de base é só uma”. Recorreu-se a um método de avaliação desenvolvido pela UTAD que passa pela medição de zonas distintas da árvore, conjugadas com a análise cuidada de alguns exemplares. De salientar que são oliveiras saudáveis, que ainda hoje continuam a dar frutos. “Todos os anos fazemos aqui a apanha da azeitona, atividade para a qual contamos com a participação dos nossos hóspedes”, menciona Ricardo referindo-se a uma das experiências que o Hotel promove durante o mês de novembro.
“A oliveira é uma árvore muito resistente” explica-nos Ricardo Raposo, com o respeito de quem há muito acompanha de perto o que considera serem grandes tesouros. “Gosto de vir até aqui, falar com elas, apreciar a sua beleza”. Os animais escolhem-nas como habitat, as pessoas vêm ao seu encontro para meditar. Se é dos que acredita que o contacto com a natureza traz inúmeros benefícios para a saúde, este é o espaço ideal para abraçar uma árvore e ouvir os segredos que ela tem para transmitir.

O Hotel Horta da Moura fica em Monsaraz e dispõe de 25 habitações, entre quartos, suites júnior e suites sénior. Com piscina exterior, campo de ténis, jardins e uma horta biológica, o hotel convida ao contacto com a natureza. Promove um conjunto de atividades relacionadas com as rotinas da vida no campo, em que o tempo é regulado unicamente pelas estações do ano. Um passeio de charrete com pic-nic, passeios de bicicleta, passeios a cavalo ou atividades de birdwatching são também possíveis mediante marcação prévia.

Possibilidade ainda de explorar a vila medieval de Monsaraz, que se encontra no topo da encosta ou a barragem do Alqueva, cuja margem dista cerca de 1 km do hotel.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.