Quinta Edição dos Concertos Por Um Novo Futuro Foi Uma Chuva de Estrelas

Novo FuturoReportagem de Joice Fernandes (fotos) e Madalena Travisco (texto)
 

Solidariedade e muito boa música marcaram presença num concerto único, esta quinta-feira no MEO Arena, cuja receita reverte integralmente para a Associação Novo Futuro. Nesta 5ª edição dos Concertos por um Novo Futuro, os Corvos e convidados de luxo revisitaram temas da cena musical portuguesa da década de 80, com uma primeira parte também de luxo preconizada por Cuca Roseta – também orgulhosa madrinha desta Associação.

“Rua do Capelão” iniciada à capela revelou a voz de Cuca Roseta no primeiro de oito temas, que incluíram um dueto com Carolina no “Trago fado nos sentidos”, “Nos Teus Braços” (tema de autoria de Cuca Roseta), uns passos de dança com o seu par num programa televisivo, e uma brilhante homenagem a Amália Rodrigues, com mérito também para os senhores das guitarradas: Pedro Viana e Frederico Gato.

Na segunda parte, a banda os Corvos trouxe alguns dos êxitos dos anos oitenta, com novos arranjos tocados com uma mestria contagiante. A recordar: “Latinamérica” com Luís Portugal (Jáfu’mega); “A Queda de Um Anjo” com Miguel Ângelo (Delfins); “Patchouly” com Carlos Tavares (Grupo de Baile),  ” El Rei D. Sebastião” com José  Cid (Quarteto 1111) , “Memória de um beijo” com Luís Represas (Trovante), “Sete Mares” com Pedro Oliveira (Sétima Legião) e ” Remar, Remar” com Tim (Xutos e Pontapés).

A recordar, noutras vozes: Luísa Sobral fez uma viagem à sua infância, trazendo, no seu timbre o Bairro do Amor (Jorge Palma); Cuca Roseta regressou para um Por Quem Não Esqueci (Sétima Legião) e Ana Moura trouxe o ” Porto de Côvo” (Rui Veloso) com alguns acordes do Saudade pelo meio.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

Foi muito bom ouvir músicas com tão boas vozes que há muito tempo não se ouviam ao som dos violinos de Pedro Teixeira da Silva e Tiago Flores, da viola de arco de Luís Santos,  do violoncelo de Cláudio Nunes, do baixo de Nuno Correia com Pedro Silva Pita na bateria.
Por duas vezes, foi o público que deu as palavras aos instrumentais destes MÚSICOS: num gritado “Sol da Caparica” (Peste&Sida) e, no final com o Hino Nacional cantado de pé.

Sim, o Hino Nacional cantado de pé revelou o patriotismo que anda escondido. E um Portugal de gente com corações bondosos que foi a este concerto solidário. Porque ajudar é um espetáculo!

Assinalando o apoio que ao longo dos seus dezasseis anos de existência têm dado às causas sociais, os Corvos apelaram ao apoio à Associação Novo Futuro, pedindo igualmente um aplauso para todos os seus técnicos e voluntários.

Sobre a Associação Novo Futuro

A Associação de Lares Familiares para Crianças e Jovens Novo Futuro é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, fundada em 1996 em Portugal. De âmbito nacional e sem fins lucrativos, tem como objectivo o acolhimento em Lar de crianças e jovens privados de ambiente familiar adequado, proporcionando o desenvolvimento humano a que têm direito, ao afecto, bem-estar e privacidade, para além de uma educação que lhes permita uma plena integração na sociedade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.