Prendas Para O Dia Da Mãe 2022 – As Nossas Sugestões

O Dia da Mãe está a chegar e como habitualmente o C&H  deixa-lhe aqui algumas sugestões de prendas para oferecer à mulher mais importante das nossas vidas: a nossa Mãe.

Para as mães que gostam de ler, sugerimos a compilação Nome de Mãe, com textos da autoria de Afonso Reis Cabral, Hugo Gonçalves, Jacinto Lucas Pires, João Tordo, Kalaf Epalanga, Mário de Carvalho, Miguel Araújo, Ondjaki, Ricardo Adolfo, e Valério Romão, numa edição Companhia das Letras.

Figura central na vida de todos — pela presença ou pela ausência —, a mãe é o mote para esta antologia de contos inéditos.
Uma antologia que é porta de entrada para universos distintos, onde a casa de partida é um lugar mental e afetivo reconhecido por todos os leitores.
Nome de mãe reúne, num único volume, alguns dos escritores mais expressivos da ficção em língua portuguesa: um livro que acolhe e expande a multiplicidade de papéis que a figura materna desempenha desde sempre, seja no espaço público de quem a rodeia, seja na vida íntima e no imaginário dos seus filhos.
Aqui encontramos uma mãe que dá à luz entre estranhos e não reconhece o seu bebé; uma mãe apanhada nas malhas de um conflito armado; uma mãe abnegada que um dia se liberta sexualmente de forma inesperada; uma mãe que vive a doença com o filho à cabeceira; uma mãe a quem a demência destrava a língua e enevoa a memória; uma mãe moribunda que desencadeia uma reflexão retrospetiva acerca da vida; uma mãe-avó-Velha que, num ambiente onírico, tenta fazer sentido da existência; uma mãe que apenas é encontrada pelo filho depois de morta e que passa a acompanhá-lo como um fantasma; uma mama-san que educa as raparigas do seu bordel para o mundo lá fora; uma mãe que vive no pânico de que o seu filho morra, cumprindo, por isso, rituais asfixiantes.
Oscilando entre o comovente, o memorialístico, o filosófico e o humorístico, estes contos dão um nome diferente a cada uma das mães que retratam, e revelam assim a impressão digital dos seus autores.

Da Chá das Cinco, A Pequena Livraria dos Recomeços da escocesa Jenny Colgan, uma edição , com 416 páginas e preço de capa de 18,80 euros.

Zoe e o seu filho necessitam desesperadamente de uma mudança. Ela quer deixar Londres e construir uma nova vida. Entre o minúsculo estúdio que mal pode pagar e as buzinas que os mantêm acordados, Zoe sente que está prestes a enlouquecer.
Num impulso, ela aceita um emprego nas Terras Altas. A função exige alguém capaz de cuidar de três «crianças dotadas», duas das quais se comportam como pequenos animais selvagens. O pai está de rastos, e os filhos correm livremente pelo enorme castelo em ruínas nas margens de um lago repleto de urzes.
Com a ajuda de Nina, a simpática livreira local, Zoe começa a criar raízes na comunidade. Serão os livros, o ar fresco e a bondade suficientes para curar uma família destruída?

Da mesma editora, As Nove Vidas de Rose Napolitano, da autoria de Donna Freitas, à venda por 17,70 euros.

Quais são as consequências das decisões mais importantes que tomamos?

Rose e Luke estão a discutir. Antes do casamento, ele prometeu que não queria ter filhos, mas entretanto mudou de ideias. Ela concordou em tomar as vitaminas pré-natais, mas não o fez. De repente, o casamento de ambos passa a depender de uma única resposta: conseguirá Rose encontrar dentro de si o desejo de ser mãe?
Ao narrar uma escolha de vida decisiva em nove versões diferentes,
Donna Freitas leva-nos pelos caminhos que definem a nossa vida,
refletindo sobre as muitas faces que o amor pode assumir e sobre as
trajetórias que definem o que é ser mulher. Um romance comovente e
provocador sobre os mistérios da maternidade, da traição, do divórcio e
da morte. E sobre uma escolha que significa reinventar o futuro com
que sempre se sonhou.

Da Porto Editora destacamos A Cor da Paixão da italiana Sveva Casati Modignani, que nos traz «um retrato de Milão do pós-guerra até aos dias de hoje». Com 416 páginas, está à venda por 18,80 euros.

Vermelho-coral: uma cor que fala de paixão. Como aquela que percorre esta história intensa, dominada por uma protagonista determinada a concretizar os seus sonhos sem se trair a si própria.
Na Milão do pós-guerra, Liliana Corti e os seus três irmãos crescem no seio de uma família singularmente unida. Com os pais aprendeu a manter a dignidade e a reivindicar os seus direitos numa sociedade que menospreza os elementos mais fracos. No entanto, os tempos estão a mudar, e rapidamente chegam os anos do boom económico, da contestação, os dias negros do terrorismo, das relações privilegiadas entre a política e os negócios… Liliana, com empenho e sacrifício, constrói uma carreira profissional brilhante, que consegue conciliar com a vida familiar graças à ajuda do marido, um homem carinhoso, compreensivo e disponível. O que não a impede de, por um momento, acalentar a ideia de se entregar a outro homem e sentir na própria pele a loucura brutal dos que pretendem mudar o mundo pela força das armas. Assiste, desorientada, ao fim da sua longa carreira, mas, uma vez mais, consegue sair vencedora dessa batalha. Com alguma sorte e muita força de vontade, também os seus irmãos conseguem triunfar na vida. Mas a verdadeira força dos Corti está na sua coerência intelectual, reforçada pelos valores que lhes foram inculcados desde cedo e que serão decisivos nos seus destinos.
Relatando uma vida vivida com coragem, através de relações de amor e ódio, de momentos de fragilidade e coragem, de acontecimentos passados na História de Itália, Sveva Casati Modignani constrói um grande romance com um forte impacto narrativo, capaz, ao mesmo tempo, de comover os leitores e de os fazer refletir e sonhar.

Também de Itália, da autoria de Alberto Riva, e com a chancela da Porto Editora sugerimos o romance histórico O Maestro e a Infanta, que tem «como pano de fundo a paixão musical que uniu um compositor italiano e uma princesa portuguesa». O livro, de 272 páginas, está à venda por 16,60 euros.

Graças ao nascimento de Maria Bárbara de Bragança levantaram-se as paredes do Convento de Mafra. Mas a história da filha de D. João V vai muito além da conhecida promessa régia. Infanta de Portugal, casou por procuração com o herdeiro do trono espanhol e veio a ser Princesa de Astúrias e Rainha de Espanha. Nascida na luxuosa corte portuguesa, rodeada das riquezas que o ouro do Brasil ainda podia pagar, Maria Bárbara recebe uma educação privilegiada. Além de aprender vários idiomas, é discípula de um jovem compositor italiano que chegará a Lisboa em 1720. A Domenico Scarlatti, homem gentil, embora pouco seguro do seu talento, cabe assegurar a educação musical da infanta, de cujos dotes artísticos o rei dúvida. As suas sonatas, tocadas mais tarde pelos maiores pianistas, começaram por ser exercícios destinados à filha do rei português. E quando esta parte para Madrid para se juntar ao marido, o compositor acompanha-a, mantendo-se junto dela até ao fim dos seus dias. Mais do que a relação entre mestre e aprendiz, une-os já uma amizade a que só a morte de um deles põe fim.

Uma prenda que cai sempre bem nesta data é uma jóia. Da marca portuguesa Portugal Jewels sugerimos o Colar Memória Oval em prata dourada.

Esta é uma peça inspirada na ourivesaria tradicional portuguesa, de que faziam parte as Medalhas Memória, que eram usadas normalmente para guardar fotografias dos filhos ou pais.

A medalha é gravada manualmente, com motivos florais, fazendo de cada uma uma peça única.

O conjunto inclui um colar em prata dourada 925%, com aproximadamente 45cm e 7,1gr. e uma medalha com 3,0cm. Disponível em prata e prata dourada. À venda por 130 euros.

 

Uma prenda diferente, para as mães que gostam de porcelana, da Vista Alegre a nossa sugestão é uma Caixa Americana Grande Marybelle Petites Histoires, com elementos em ouro. À venda nas lojas da marca por 65 euros.

Esta peça de porcelana integra a coleção Petites Histoires (“Pequenas Histórias”) da autoria do designer francês Sam Baron, “onde collages subtis se misturam com os seus esboços, adornando os objetos com narrativas poéticas e até um pouco surrealistas. O designer francês retoma os códigos decorativos da Vista Alegre, inscrevendo-os de maneira pessoal numa elegância única e moderna. Pequenas flores, pássaros e outras gravuras tornam-se motivos que compõem livremente conjuntos de peças desenhadas para os momentos mais deliciosos da vida”. Tem 56 mm altura, 98 mm de largura e 118 mm de comprimento.

Boas compras e Feliz Dia da Mãe!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.