Prémio Literário José Saramago Distinguiu Afonso Reis Cabral

O escritor de 29 anos, Afonso Reis Cabral, distinguido em 2014 com o Prémio LeYa, pelo seu primeiro romance O Meu Irmão, recebeu esta terça-feira o Prémio Literário José Saramago, pelo seu segundo romance Pão de Açúcar.

A 11ª edição do prémio, criado pela Fundação Círculo de Leitores para jovens escritores de língua portuguesa com menos de 35 anos de idade, no valor de 25.000 euros, contou com um júri composto pela editora Guilhermina Gomes, a poetisa angolana Ana Paula Tavares, o autor português António Mega Ferreira, a escritora brasileira Nélida Piñon e a presidente da Fundação Saramago, Pilar del Rio.

Pão de Açúcar (Dom Quixote, 2018) é um «romance vertiginoso sobre um caso verídico que abalou o País, fascinante incursão nas vidas de uma vítima e dos seus agressores, numa combinação magistral de factos e ficção, com personagens reais e imaginárias meticulosamente desenhadas, que vem confirmar o talento e a maturidade literária de Afonso Reis Cabral». Um livro que retrata o caso real da vida de Gisberta Salce Júnior, sem-abrigo transsexual assassinada na cidade do Porto, em 2006.

A entrega do galardão, que já distinguiu escritores como Paulo José Miranda, José Luís Peixoto, Bruno Vieira Amaral, Valter Hugo Mãe e Ondjaki, decorreu na Casa dos Bicos, sede da Fundação José Saramago, em Lisboa.

O mais recente livro de Afonso Reis Cabral, Leva-me Contigo (Dom Quixote, setembro de 2019) é um diário dos vinte e quatro dias em que o autor percorreu «A Estrada Nacional 2, com os seus quase 739 quilómetros, a maior de Portugal e uma das maiores do mundo. Atravessa Portugal de Chaves a Faro, numa linha contínua que não é feita só de asfalto. Estrada mítica e com identidade própria, é o mais belo caminho para conhecer as pessoas, as paisagens – o País, em suma.».

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.