Porto Editora Lança Online As Mulheres Da Minha Alma

O mais recente livro de Isabel Allende, As Mulheres da Minha Alma, já disponível nas livrarias com selo Porto Editora, tem apresentação agendada, no dia 18 de novembro, pelas 21h00, num evento online com a presença da autora.

Isabel Allende constrói um manifesto autobiográfico, uma viagem pela memória marcada pela reflexão do que é ser mulher e da luta constante contra o statu quo imposto por um machismo estrutural. Desde a mais tenra idade, (não exagero quando digo que sou feminista desde o jardim de infância), ao sentir a censura à sua mãe Panchita, até aos dias de hoje, este é um retrato da autora enquanto feminista. Num registo confessional, partilha episódios da sua vida: as alfinetadas ao patriarcado chileno que escrevia na coluna Civilize o seu troglodita; os “disparates épicos” cometidos por paixão ou a publicação do seu primeiro romance. E, tratando-se de um manifesto, a autora não poupa palavras nas suas reflexões sobre o que significa ser mulher e no que é necessário para derrubar o patriarcado pétreo (e as suas atuais declinações): um feminismo fluido, poderoso e profundo que se move como o oceano.

Neste livro, Isabel Allende não esquece as “bruxas boas”, mulheres incontornáveis da sua vida: a sua filha Paula, a agente literária Carmen Balcells, as escritoras companheiras de percurso (de Atwood a Virginia Woolf), e todas as mulheres anónimas que lutam pela justiça e igualdade.

«Cada ano vivido e cada ruga contam a minha história.»

Isabel Allende percorre os labirintos da memória e oferece-nos um emocionante testemunho sobre a sua relação com o feminismo e a sua condição de mulher.
Em Mulheres da minha alma, a autora chilena convida-nos a acompanhá-la nesta emocionante viagem, em que revisita a sua ligação ao feminismo, desde a infância até aos dias de hoje. Recorda algumas mulheres incontornáveis na sua vida: Panchita, Paula e a agente Carmen Balcells, cuja ausência chora ainda hoje; escritoras de nomeada como Margaret Atwood; jovens artistas que trazem na pele a rebeldia das novas gerações; mulheres anónimas que sofreram na pele a violência de género e, com dignidade e coragem, se levantam e avançam. Todas elas a inspiram e a acompanham ao longo da vida: as mulheres da sua alma.
Reflete, ainda, sobre as mais recentes lutas sociais, nomeadamente as revoltas no seu país de origem e, claro, sobre este novo contexto que o mundo atravessa com a pandemia. Tudo isto sem deixar de manifestar a sua inconfundível paixão pela vida e a sua crença em que, independentemente da idade, há sempre tempo para o amor.

A obra, com tradução de Carla Ribeiro, tem 208 páginas e está à venda por 16,60 euros.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.