Pescadores de Macau e o Culto de Chu Tai Sin em Exposição no Museu do Oriente

Pescadores de Macau (2)Pescadores de Macau e o culto de Chu Tai Sin é a nova exposição temporária que o Museu do Oriente apresenta a partir de amanhã, 26 de fevereiro e que estará patente ao público até 19 de abril.

Elaborada para dar a conhecer a origem e a natureza do culto a esta divindade taoista, nesta exposição conta-se um pouco da história da pesca e os pescadores que são parte intrínseca da história de Macau. Esta comunidade, que no princípio do século XX constituía cerca de um terço da população, tinha a particularidade de ser flutuante no sentido literal do termo uma vez que os pescadores nasciam, viviam e morriam a bordo das embarcações.

Confrontados diariamente com a precariedade da vida, atribuíam um papel crucial à actividade religiosa. Esta é a ligação com Chu Tai Sin, divindade taoista e patrono dos pescadores, que é um dos deuses a que recorrem em situação de aflição. Anualmente, os crentes congregam-se num barco transformado em templo para participar na festividade Da Jiu, realizada em sua honra.

Para aproximar os visitantes da atmosfera que se vive nesta celebração, parte do espaço expositivo evoca a organização do espaço ritual num templo flutuante. Em paralelo, os visitantes são ainda convidados a fazer os seus próprios amuletos, com carimbos rituais disponibilizados para o efeito.

Para assinalar a inauguração desta exposição, realiza-se um programa de actividades gratuito que inclui uma mesa redonda sobre Museus e Património Intangível e um workshop da técnica chinesa da Folha de Ouro.

A exposição Pescadores de Macau e o culto de Chu Tai Sin pode ser visitada a partir de 26 de fevereiro e até 19 de abril, de terça-feira a domingo,  entre as 10h00 e as 18h00, e sexta-feira das 10h00 às 22h00 (com entrada gratuita a partir das 18h00). A exposição encerra às segundas-feiras e a entrada tem um custo de 6 euros (descontos aplicáveis).

Texto de Teresa Leal

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.