Pecados E Tentações Terrenas No Segundo Painel De Dias Da Música

Reportagem de António Silva (fotografia) e Tânia Fernandes (texto)

q

As tentações de Hieronymus Bosch escutam-se este fim-de-semana no Centro Cultural de Belém. Esta edição do festival Dias da Música viaja pelas obras do pintor do século XV, revelando diferentes leituras.

O CCB foi invadido de telas gigantes de reproduções de pinturas de Hieronymus Bosch. Aos palcos e salas chegou, nesta edição, um festival em forma de tríptico: Castigos, Culpas e Graças Divinas. Este sábado, exploraram-se as “Culpas, Pecados e Tentações Terrenas”.
Começámos pelo recital 666, La Casa del Diavolo, com direção musical de António Carrilho, que também interpretou na posição de flauta de bisel solista. Este concerto reuniu autores como Bach, Gluck ou Haydn e tratou da personificação do mal entre os homens.

O leque de idades dos visitantes deste festival mantêm-se amplo. Nos corredores circulam famílias completas, num claro sinal de que a música erudita encaixa em todas as faixas etárias. Seguimos para algo completamente diferente: La Piccola Morte – Madrigais Eróticos. O concerto é interpretado pelo Grupo Vocal Olisipo, com direção de Armando Possante. A sala tem, ao fundo, uma janela com uma vista idílica. Entre paredes canta-se o êxtase amoroso, que foi em tempos denominado de La Petite Mort.

Nem só de música clássica se desenha este festival e o público que por aqui passeia retém-se num dos concertos no recinto de Capoeira e Danças Populares Brasileiras. Os intérpretes pertencem ao Centro Cultural Arte Pura de Lisboa e a interação com o público faz parte desta apresentação. As crianças são as primeiras a juntar-se à roda, que acaba por envolver todos. Do outro lado do recinto também se dança a bom ritmo com os Galandum, Galundaina. Este grupo estuda e divulga a identidade cultural das terras de Miranda, Nordeste Transmontano. Os instrumentos musicais foram partilhados com elementos do público e a festa fez-se com entusiasmo.

Georges Bizet e Rodion Shchedrin são os compositores do concerto Jogos de Sedução que abriu o Grande Auditório, este sábado. A Deutsches Kammerorchester Berlin atua com direção musical de Bruno Borralhinho. E ninguém fica indiferente ao conhecido trecho da ópera Carmen.

Antes de enfrentar a invernosa primavera, tempo ainda para saborear o Quarteto Camões, que trouxe o quarteto em ré menor A Morte e a Donzela. Dois violinos, uma viola e um violoncelo para interpretar o trecho de Schubert. Mais uma vez, sala cheia, onde não faltam crianças de tenra idade.

O domingo vai ser dedicado às Graças Divinas e a Reconquista do Paraíso. Cumpridos os Castigos (sexta-feira) e ultrapassadas as Tentações terrenas (sábado), a aventura segue na direção do Céu. Os bilhetes de acesso ao Festival encontram-se à venda nos locais habituais e no local, e custam entre 4 euros (bilhete de acesso ao recinto) e 14,50 euros (concertos no grande auditório).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.